quinta-feira, 19 de março de 2009

A Origem da Família Barbosa Sandoval


Por Roberto Sandoval : rlavodnas@hotmail.com ou rlavodnas@gmail.com
.
Prólogo

"Tenha orgulho de seus humildes antepassados
São as pessoas humildes que eu procuro ,
O sal da terra , por assim dizer ,
Aqueles que domaram o solo bruto ,
E fizeram nele as sementes florescer.
São estes que eu gosto de encontrar ,
Quando mergulhado na estrada da genealogia.
E é apenas por orgulho que me deixo levar ,
Refazendo seus passos para assim os imortalizar.
Aqueles que buscam o passado com sonhos de glória ,
De encontrar heróis educados em cada história ,
Não devem jamais se desapontar ,
Ainda que descobrirem que os humildes bisavós ou tataravós ,
Tinham somente as estrelas para contemplar".
(G. MacCoy).



Cap. I – A remota origem do apelido Sandoval – complemento à genealogia de Rheingantz


Capitão João Gomes da Silva Sandoval nasceu em 1582 em terras ainda desconhecidas , filho de Braz Gomes de Sandoval e de sua mulher Helena da Silva , ambos nascidos por 1550. Foi Capitão de Infantaria e Governador da Fortaleza de Santo Antonio da Bahia no tempo da Guerra dos Holandeses e depois , havendo passado ao Rio de Janeiro , foi Capitão da Fortaleza de São João da Barra da mesma cidade , Provedor da Fazenda Real e Juiz de Órfãos , que serviu a 28 de Fevereiro de 1632 , em que tinha 50 anos de idade e mais de 26 anos de assistência na terra , o que tudo consta de uma certidão da Câmara da mesma cidade , passada em seu favor no dito ano , por se querer a propriedade do mesmo ofício e de sua mulher Dona Maria Maris (ou Marins) , filha de Diogo Marins Loureiro , segundo Provedor da Fazenda Real do Rio de Janeiro e de sua mulher Paula Rangel de Macedo.
Dona Maria Marins era neta materna de Julião Rangel de Macedo , o Velho , Fidalgo da Casa Real e Capitão da Conquista do Rio de Janeiro , em que serviu com muito valor contra o gentio que naqueles tempos nos traziam inquietos e repetidos ataques , onde vivia nos anos de 1583 , em que por ausência do Governador e Ouvidor Geral Salvador Correa de Sá , lhe ordenou o Rei D. Felipe I , de Portugal , que servisse no lugar do Ouvidor Geral da mesma cidade e o que ele obedeceu tomando posse do dito emprego a 28 de Junho do mesmo ano e de sua mulher Brites Sardinha , irmã de D. Pedro Fernandes Sardinha , primeiro Bispo de todo Estado do Brasil.
A família Rangel encontra-se no blog : http://rangeis.blogspot.com/
Foi Dona Maria Marins neta paterna de Antonio de Marins Coutinho, o Velho , primeiro Procurador da Fazenda Real da mesma cidade e de sua mulher Isabel Velho , natural da Capitania de São Vicente.

“Antonio de Marins Coutinho nasceu no ano de 1537 em Barcelos, Portugal. De linhagem nobre , era neto de Lopes Marins , de cuja família possuía Brasão de Armas , concedido em Évora aos 03 de setembro de 1534 , por Dom João III. Veio para o Brasil antes de 1558 , pois nesse ano , o Governador Geral , Mem de Sá , o nomeou Escrivão do Navio Santo Antônio.Residiu na Capitania de São Vicente até 1567. Lá fôra Juiz Ordinário (Presidente da Câmara) de São Paulo de 1562 a 1564, sendo em 1563 , Almocacé. Antes , porém , em 1561, solicitou ao Capitão Mor daquela Capitania , Pedro Colaço, “terras de mata virgem na borda do campo em Ipiranga , um pedaço quadrado de dez tiros de besta”. Em que pese tenha se radicado na Capitania de São Vicente , sempre a deixou para participar de todas as batalhas de conquistas do Rio de Janeiro. Tal fato se comprova quando solicitou sesmaria em 1568 , ao Governador Geral. Argumentou “ter servido no tomar da Fortaleza de Villegaignon em companhia de Vossa Senhoria , como em ajudar a retomar esta Cidade de São Sebastião em companhia do Capitão Mor Estácio de Sá , que haja Glória”. Essa disponibilidade dos paulistas para as guerras de conquistas do Rio de Janeiro , contra os franceses e principalmente as tribos indígenas a eles aliados , possibilitou a norma de escravização do gentio aprisionado em “Guerra Justa”. Daí surgiu um longo e sério conflito entre paulistas e missionários, que objetivavam apenas a catequização do gentio. Quando Antonio de Marins Coutinho recebeu do Governador Geral Mem de Sá , a autorização para “cada ano resgatar de sua roupa duas peças de escravos gentios desta terra”, também deve ter se indisposto com os missionários.

Com a fundação da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro em 1565 , retornou para a Capitania de São Vicente , e em 12 de maio do mesmo ano , envia ao Capitão Estácio de Sá , representação assinando juntamente com outros Oficiais (vereadores) da Câmara de São Paulo , pressionando-o a ajudá-los no combate contra os índios que estavam ameaçando a paz na Vila de Piratininga. Segundo a carta “não o fazendo assim protestamos por todas as perdas e danos que esta Vila vieram por razão do dito Capitão não fazer a dita guerra... e querendo Vmce. fazer a guerra , estaremos prontos para ajudarmos com nossas pessoas e fazendas e tudo o que for necessário”.
Em 1567 , mudou-se definitivamente com sua mulher , filhos e escravos para o Rio de Janeiro. Nomeado por Mem de Sá , tornou-se o primeiro Provedor da Fazenda Real e Juiz da Alfândega na Capitania do Rio de Janeiro , já em exercício no mês de agosto de 1568. Foi Oficial da Câmara da cidade em 1570 a 1571 , sendo neste último ano Juiz Ordinário. Foi o primeiro Mamposteiro Mor dos cativos , cargo que ocupou até 1584 , quando Aires Fernandes o substituiu , segundo Vieira Fazenda , “tal cargo consistia na arrecadação de esmolas para os prisioneiros vítimas dos infiéis e só era dado a pessoas de importância , virtudes e saber”.Em agosto de 1567 , subscreveu um requerimento dirigido ao Governador Geral pelos moradores da cidade , solicitando-lhe ordenasse a demarcação do rocio , da mesma forma que se fazia no Reino , a fim de que pudessem criar o gado que o próprio Mem de Sá mandara vir para sustento da população e emprego em outras necessidades quotidianas. Era essa , aliás , a principal atividade de Antonio de Marins Coutinho , ressalvado o exercício dos seus importantes cargos públicos. Não se passara um ano de sua residência no Rio de Janeiro e já alegara a necessidade de possuir amplas terras , visto que tinha “muito gado vacum e outras criações”. Para tanto , obteve sesmaria , em 1568 , na margem da baía de Guanabara fronteira ao centro urbano da cidade , na qual também possuiu rebanho. A sesmaria dada a Nuno Tavares , aos 11 de setembro de 1573 , refere-se ao curral de Antonio de Marins Coutinho , cortado pelo caminho que ia da aldeia de Martin Afonso , ainda localizada na margem ocidental da baía , perto do rio de Jubibiracica , até a praia do oleiro. Na mediação e demarcação das terras do Colégio do Rio de Janeiro , da Companhia de Jesus , que lhe coube promover em janeiro de 1573 , na qualidade de Provedor da Fazenda Real , disseram Araribóia e Manuel Pereira , que o rio Iguaçu , limite da sesmaria dos jesuítas “era o ribeiro , digo , a lagoa , que corria junto da roça de Martins Pereira , e as ditas roças”. Em 1574 , o curral não mais existia , pois em prosseguimento a mencionada demarcação , as autoridades dela encarregadas , foram , a 25 de janeiro , até “uma lagoa que esta em uma chapada adiante , além do rio Carioca , que onde se diz que esteve um curral de vacas de Antônio de Marins os dias passados”.
Várias Sesmarias lhe foram outorgadas : em fevereiro de 1568 recebeu 3.000 braças de largo e 6.000 para o Sertão “da banda d’além desta cidade desde as barreiras vermelhas”. No mês seguinte , aos 16 de março , Antonio de Marins Coutinho desistiu da Sesmaria , e no mesmo dia o Governador Geral transferiu para Martin Afonso , o bravo Araribóia , na qual , em 1573 , florescia a aldeia de São Lourenço , sob a direção dos jesuítas , aos 23 de março, recebeu em compensação , 4.500 braças de largo e 9.000 para o Sertão “por esta Bahia dentro donde acaba Martin Afonso até o lugar chamado Eubirapitanga”. Estas terras haviam sido dadas anteriormente a Diogo da Rocha , morador da cidade de Salvador , contando que viesse desta dita cidade residir e morar. Mas porque o dito Diogo da Rocha mandou dizer que não queria morar nesta dita terra nem nela fazer fazenda nenhuma de benfeitorias , e a dita terra assim esta devoluta , Antonio de Marins Coutinho pediu-a e obteve de Mem de Sá ; aos 23 de março de 1568 ganhou também mais 3.000 braças do largo do mar e 6.000 para o sertão principiando a medir em Eubirapitanga acabando a dada de Diogo da Rocha , aos 12 de junho de 1570 deu-lhe Salvador Correia de Sá , 6.000 braças , em lugar não identificado , e em 08 de janeiro de 1574 , 500 braças , em quadra , na praia que esta de fronte a ilha de Marica.
Realmente , Antonio de Marins Coutinho foi um dos mais famosos moradores do Rio de Janeiro quinhentista. Seu nome tornou-se muito conhecido , pois no romance “O Guarany” , de José de Alencar , ainda que , fugindo à verdade histórica , fez dele o personagem Dom Antonio de Mariz. No romance , era um senhor português muito corajoso e rico. Havia lutado em guerras importantes. Com sua espada , já tinha derrotado muitos invasores ... Como Capitão de Infantaria , comandou um destacamento que partiu para Cabo Frio, em 1575 , integrando a expedição do então Governador Antonio Salema contra os tamoios aldeados naquela paragem. Nesta guerra , obrou atos de coragem , sendo por isso armado , pelo próprio Antonio Salema , Cavaleiro Fidalgo , aos 18 de janeiro de 1578 , confirmando-lhe o Cardeal Rei a investidura , em 08 de dezembro de 1578.
Conquistador e povoador do Rio de Janeiro , é fundador da família Marins Coutinho no Brasil. Casado com D. Isabel Velho , tiveram cinco filhos :

..... 1) Dr. Diogo de Marins Loureiro , Oficial da Câmara da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro em 1599, e nomeado pelo Governador Geral , em 31 de dezembro de 1606 , o segundo Provedor da Fazenda Real e Juiz da Alfândega na Capitania do Rio de Janeiro , cargo que seu pai ocupou , casado com Paula Rangel de Macedo , filha de Julião Rangel de Macedo , Ouvidor da Capitania do Rio de Janeiro em 1583. Pais de (entre outros), Maria de Marins , Isabel de Marins , do Bispo Antônio de Marins Loureiro , fundador da Freguesia de Irajá , do Monge Beneditino , Frei Abade Diogo da Paixão Rangel , Abade da Província Beneditina do Brasil , Abade e restaurador do Mosteiro de Olinda , dentre outros cargos.
..... 2) Isabel de Marins, casada com Crispim da Cunha Tenreiro, Provedor Mor da Fazenda Real, dentre outros cargos.
..... 3) Maria de Marins , esposa de Tomé de Alvarenga , Oficial da Câmara da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.
..... 4) Francisco de Marins Loureiro (nada se sabe) e
..... 5) Antônio de Marins Coutinho , também , Oficial da Câmara da cidade em 1609.

O Mamposteiro Mor dos cativos e Provedor da Fazenda Real faleceu antes de setembro de 1584 , às margens da lagoa de Capuerussu , ou da lagoa da Sentinela , na própria cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro , seteado por índios bravos , em cilada que lhe armaram. Graças a José de Alencar e Carlos Gomes , a memória de Antonio de Marins Coutinho permanecerá imortalizada na literatura e na música , ocupando lugar de destaque na nossa história colonial.
(Biografia do Provedor da Fazenda Real Antônio de Marins Coutinho , texto do Prof. Fabiano Marins Coutinho da Hora)”.
.
.
“Escriptura de renuncia de terras que fazem Antonio de Marins e sua mulher Isabel Velha a favor do capitão Martim Affonso de Souza.
Saibam quantos este publico instrumento de escriptura de renuncia virem que no anno do nascimento de nosso senhor Jesus Christo de 1568 annos , aos dezesseis dias do mes de Março do dito anno , em esta cidade de S. Sebastião do Rio de Janeiro , terra desta costa do Brazil, em as pousadas de Antonio de Marins, provedor da fazenda de el-rei nosso senhor, em esta dita cidade, perante mim publico tabellião abaixo nomeado, e em minha presença e das testemunhas que ao todo foram presentes, e logo ahi appareceu o dito Antonio de Marins e sua mulher Isabel Velha, pelos quaes ambos juntamente, e cada um de persi, foi dito que elles tinham uma data de terras de sesmaria que o sr. governador Mendonça lhes déra, a qual estava defronte da dita cidade, a qual começa a medir das primeiras barreiras vermelhas, que são da banda do além, correndo ao longo d'esta bahia acima caminho de norte até acabar uma legua , até ao longo da bahia salgada, e duas leguas para o sertão, conforme as cartas das datas das ditas terras que o dito Antonio de Marins tinha, da qual, que era delles ambos, desistem, como de facto logo desistiram, e renunciaram nas mãos do dito Sr. governador Mendonça , para que elle as possa dar a Martim Affonso do gentio desta terra, pelos muitos serviços que n'isso faz ao Senhor Deos e a el-rei nosso senhor e ao dito Martim Affonso, nas quaes desmembravam de si d'este dia para todo o sempre, e tiravam de si toda a posse, dominio e direito que nas ditas terras tinham, para que nunca, e em nenhum tempo, elles sobreditos, nem seus herdeiros, as possam haver, nem demandar por nenhuma via que seja, com tal condição que o dito Martim Affonso, a quem assim o dito governador ha por bem de as dar, venham em suas pessoas, e com sua mulher e filhos, e gente, a residir e a morar n'este dito rio, e sendo caso que o dito Martim Affonso não venha a morar e residir a este dito rio e capitania ......... e enfadando-se de morar nas ditas terras, ou fazendo d'ellas alguma venda, ou partido com alguma pessoa, ou pessoas, em tal caso a tal renunciação, e escriptura, será nenhuma, não sendo primeiro requerido o dito Antonio de Marins e sua mulher, que as querem tanto pelo tanto, e as querendo, e acceitando o tal partido, lhe ficarão as ditas terras ao dito Antonio de Marins e sua mulher como d'antes as tinham, acceitando a tal condição com que o dito Martim Affonso as quizer dar depois, e por de tudo o conteúdo n'este instrumento do escriptura de renunciação haverem por bem e serem contestes, e obrigam, por suas pessoas e bens moveis e de raiz, havidos e por haver, a cumprirem e guardarem; e eu, Pedro da Costa, como pessoa publica estipulante e acceitante, estipulei e acceitei este publico instrumento em nomo dos sobreditos e do dito sr. governador, e por assim em tudo haverem por bem, assignaram e mandaram, a mim tabellião, que fizesse esta escriptura de renunciarão, a qual, eu tabellião, a fiz e a tomei n'este meu livro de notas, do qual mandaram dar os traslados d'elle por cumprirem aquella parte a que pertencer.
Testemunhas que ao todo foram presentes, Miguel Baptista, Antonio Carvalho, e Pedro de Seabra que assigna pela dita Isabel Velha, mulher do dito Antonio de Marins, por ella ser mulher e não saber assignar. E eu, Pedro da Costa, tabellião publico das notas por el-rei nosso senhor, em esta cidade de S. Sebastião, e seus termos, que este instrumento fiz em este meu livro de notas, como dito é, onde fica assignado pelas ditas partes, e o dito sr. governador, e testemunhas, d'onde este tirei na verdade sem cousa que duvida faça, e o corrigi, conferi com o proprio e em elle assignei de meu publico signal que tal é.
E eu, sobredito Pedro da Costa, tabellião que o subscrevi e assignei, etc”.
.
.
Do Livro de Óbitos da Igreja do Santíssimo Sacramento , antiga Matriz do Rio de Janeiro , dos anos de 1654-1663 :
.
"Paula Rangel


Aos nove dias do mes de Setembro da ditta era [1654] faleceo Paula Rangel / viuva , recebeo todos os Sacramentos , fez seo testamento e nelle deixou por / seus testam.ros [testamenteiros] o seu neto o P.e Fra.co da Silva Cabral e Estevão (?) Correa da Silva / cazado com sua neta Elena da Silva e no seu codicilo declarou tambem os seus/testamt.ros a mim Vig.ro e a Fran.co da Costa Barros p.a q. todos dem cumprim.to / a seu testamento.Declarou q. seo corpo fosse sepultado na Igreja da Comp.a de Jesus na / sepultura de seo marido [aqui hove engano , o correto é pai] Julião Rangel e na materia de seo acom- /panham.to deixa a disposissão de seus testam.ros. Deixa a Mise- / ricordia pello trabalho de seo enterro quatro mil reis sem embargo / de ser Irmã da d.a caza e no codicilo diz q. deixa oito mil reis.Declarou q. dicessem p. sua Alma hum trintario de missas q. comesaria / despois ....... sua morte. Deixa de esmola a Comp.a de Jesus dezaseis / mil reis para q. se gastem no azeite da alampara do Santiss.o Sacramento , de agar-/ decim.to de tantas obras boas em toda sua vida recebeo.Deixa mais a Maria da Costa enfermeira dos P.es [padres] sinco mil reis que / lhe darão em d.ro ou em couza de caza q. lhe contentarem./Declarou q. o remanescente de sua 3a [terça] deixa a seo f.o [filho] o P.e frei Diogo Rangel / p.a q. lhe diga algúas missas p.a sua alma e não querendo os Religiosos que / elle goze estes bens disporá delles p.a suas missas /Declarou que as cazas em que morava fizera dellas doação a seu / neto o P.e Fr.co da Silva p.a que lhe dicesse hua missa cada mes p.a sempre / e o Calix e ornamentos q. tinha no seo oratorio dera ao ditto seo neto p.a que lhe dicesse duas Capellas de Missas/ Declarou em hu codicilo fora do testamento que tem algúas mu-/ latas que são cedidas de Indias do gentio da terra são forras e as deo / aos R.dos P.es da Comp.a p.a q. melhor se conservem entre os quais ............ / tambem Salvador mulato e algúas q. deo a suas netas .............. / claração de forras e não diz mais o ditto testam.to quanto aos bens.
M.el Nobrega.
(Sic).
.
João Gomes da Silva Sandoval tinha passado a militar no Brasil , filho de Braz Gomes de Sandoval e de sua mulher Dona Helena da Silva , filha de João Gomes da Silva , valido de El Rei D. Sebastião.

Faleceu o Capitão João Gomes da Silva Sandoval no Rio de Janeiro aos 16 de Fevereiro de 1640 (RJ - Sé L°3°/09). Sua mulher Dona Maria de Marins , nascida em 1594 no Rio de Janeiro , faleceu na mesma cidade em 22 de Julho de 1672 (RJ - Sé L°4°/100v).
.
Do Livro de Óbitos da antiga Sé do Rio de Janeiro dos anos de 1639-1653 , Igreja do Santíssimo Sacramento :

"João Gomes
da Silva
.
Em os dezeseis dias do d.o mes [fevereiro de 1640] faleceo João Gomes da Silva /
fez testamento E nelle declarou seus testam.ros a sua m.er Maria / de Maris , o seu genro João Correa da Silva E seu filho Fr.co da Silva / digo o Pe Fr.co da Silva seu filho /
Declarou q. seu corpo fosse amortalhado em habito de S. Fr.co / e enterrado na Igreja dos ............ da Comp.a na sepultura q. os R.dos/ lhe quizessem dar e q. acompanhasse seu corpo os Clerigos / ou Vig.os .......e assim mais os Religiosos de N. Sra da Socorro /
Declarou q. era Irmão da Misericordia e de tudo deixa ........ de es- / mola por acompanhar o seu corpo des mil reis.
Declarou q. acompanhasse seu corpo a Irmandade do Santiss.o Sacra- / mento , a das Almas , a de N. Sra dAjuda , a de N. Sra do Bonsucesso e / todas as mais q. ouvesse , E q. se lhe desse a esmola costumada.
Declarou q. dicesse p. sua alma duzentas missas das quais ......... / Disse o Vigr.o p.a as dizer ou mandar dizer sincoenta .......... mais ........ / mandasse dizer p.la man.ra seguinte :Des [dez] ao Santiss.o Sacram.to des a / Sr.a dAjuda , des a Virge do Bonsucesso , des a Irm.de das Mil Virges, des a Vir- / gem do Bonsucesso , des a Virge da Paz , "Vinte" a S. João Baptista , Vinte / a S. Miguel ......... E des as almas na Igreja da "S.ta" Misericordia / junto ao seu altar previlegiado e outras "Vinte" a N. Sra ....../ ........ altar previlegiado E des em S. Bento a N. Sra do Montserrat /
Declarou que tinha tres f.os machos E 4 femeas todos seus herdeiros.
No verso:
.........sua f.a Francisca ..... com João Fonseca da Silva...e disse o q. pode ....
assim declarou sua m.er lhe passarão.......o qual .......
irmão do P.e Gregorio de Barros.....E um termo fiel por ambos assinado
.....aquillo q. ...............compra. E não continha mais do testam.to q.to a
pia....lhe dicerão. E declarou os seus testamenteiros....
algum sobre sua sepultura que assim era sua vontade".
(Sic)
.
Do Livro de Óbitos da antiga Sé do Rio de Janeiro dos anos de 1662-1673 , Igreja do Santíssimo Sacramento :
.
"Maria de Maris
Aos vinte e dous do mes de Julho de mil e seiscentos e setenta e dous /.
faleceo Maria de Maris , recebeo os Sacram.tos , fez seu testamento , em q. dispos /
q. seu corpo fosse amortalhado no habito de N. Sra do Carmo e q. fosse se-/
pultado no Collegio e o acompanhassem os Religiosos de N. Sra do Carmo os sacerdo- /
tes e priores q. seus testamenteiros ordenassem.
Nomeou por seu testamenteiro a seu filho o Cap.am Teotonio da Sil-/
va ao qual encarregou q. fizesse por sua alma os sufragios alegados q. no seu /
testamento se continhao, de que foi digo Nomeou por seus herdeiros a seus /
filhos de que fiz este acento e assignei.
Ignacio Frz Neves".
(Sic)

João Gomes da Silva Sandoval e sua mulher Maria de Marins deixaram os seguintes filhos :

..... 1) Helena da Silva , nascida em 1611 , com geração.

..... 2) Padre Francisco da Silva Cabral , nascido em 1614 , falecido em 1669.

.... 3) Capitão Teotônio da Silva , nascido em 1617 , casado em 1638 com Anna de Azevedo , filha de Cristovão Vaz e de s/m Sebastiana Antunes de Abreu , que seguem no capítulo seguinte.

..... 4) Catharina da Silva Sandoval , nascida em 1623 , falecida no Rio de Janeiro em 15/11/1707 (Sé, 7º , 126). Casada que foi , aos 27/04/1648 no Rio de Janeiro , com o Coronel Francisco Sodré Pereira , também falecido no RJ aos 13/12/1669 (Sé , 4º , 82). Com geração.

..... 5) Paula Rangel de Macedo , nascida aos 29/04/1628 no Rio de Janeiro , falecida , na mesma cidade em 17/06/1668. Foi casada , aos 08/04/1641 no Rio de Janeiro , com Marcos Azeredo de Coutinho Melo , nascido em 10/11/1619 e falecido no RJ em 01/05/1680. Com geração.

..... 6) Ana da Silva , casada que foi com o cap. Antonio Lobo Pereira , Provedor da SCM , falecido em 15/11/1671 (R J -Sé L°4°/97). Com geração.


Cap. II – Capitão Teotônio da Silva

Nascido por 1617 , casado por 1638 com Anna de Azevedo , falecida em 04/07/1704 , filha do Capitão Cristovão Vaz , nascido pelos anos de 1590 e falecido no Rio de Janeiro aos 5/5/1654 e de s/m Sebastiana Antunes de Abreu.
.
"Aos vinte e dous do mes de Julho de mil e seiscentos e setenta e dous /faleceo Maria de Maris , recebeo os Sacram.tos , fez seu testamento , em q. dispos /q. seu corpo fosse amortalhado no habito de N. Sra do Carmo e q. fosse se-/pultado no Collegio e o acompanhassem os Religiosos de N. Sra do Carmo os sacerdo- /tes e priores q. seus testamenteiros ordenassem.Nomeou por seu testamenteiro a seu filho o Cap.am Teotonio da Sil-/va ao qual encarregou q. fizesse por sua alma os sufragios alegados q. no seu /testamento se continhao, de que foi digo Nomeou por seus herdeiros a seus /filhos de que fiz este acento e assignei.Ignacio Frz Neves".
(Sic)

Do Livro de Óbitos da antiga Sé do Rio de Janeiro dos anos de 1701-1710 , Igreja do Santíssimo Sacramento :
.
[á margem]
.
........m.er testam.
taria Cap.m João
Gomes da Sylva
"Aos quatro de Julho de mil setecentos e quatro , faleceo Anna de Azevedo fez test- /tam.to da forma seg.te [seguinte] pediu a seo marido Teotonio da Sylva e a seo filho Manoel Gomes / da Sylva fossem seos testtr.os [testamenteiros]. Mandou q. seo corpo fosse enterrado na ....... / acompanhada com a tumba dos Irmãos, poes seo marido o tinha sido , amortalha /do no habito do Carmo e q. a acompanham o seo Vigr.o com quinze sacerdotes e as / tres santas cruzes - Mandou q. por sua alma se dicessem duzentas missas / a metade a seo Vigr.o e as otras a disposição de seos testamr.os. Declarou ser n.al [natural] /desta Cid.e [cidade] filha do Cap.m Christovão Vaz e de sua m.er Sebastiana Antunes de / Abreu ja defuntos. Declarou q. de prez.te era cazada com o Cap.m Teotonio Gomes / da Sylva do qual Matrimonio tinha quatro filhos a saber João Gomes da Sylva / [rasgado] da Sylva , e Maria de Marins ja defunta os quaes serão / [rasgado] Declarou .............e como dotara as filhas [rasgado] ut supra [rasgado]".(Sic)
.
O Cap. Teotônio da Silva e s/m Ana de Azevedo deixaram os seguintes filhos :

..... 1) Paula Rangel de Macedo , nascida em 1639.

..... 2) Capitão João Gomes da Silva , nascido em 1641 no Rio de Janeiro.

..... 3) Helena da Silva Sandoval , nascida no Rio de Janeiro , casada aos 15/03/1664 com Paulo Cardoso de Azevedo.

..... 4) Sebastiana da Silva , nascida aos 14/02/1649 no RJ (Sé, 3º , 94)

..... 5) Dona Maria de Marins , nascida no RJ , casada aos 22/05/1673 em Icarahy , RJ , com Miguel Cabral de Vasconcelos nascido na Ilha da Madeira em 1643. Com geração.

.... 6) Bárbara da Silva Sandoval , que segue no capítulo seguinte.


Cap. III – Bárbara da Silva Sandoval

Nascida por 1656 , casada aos 26/04/1678 na Igreja de São Jose (RJ Sé, 2º , 63) , com Antonio Ribeiro Espinha , filho de Antonio Ribeiro e de s/m Catharina Espinha.
Bárbara da Silva Sandoval e seu marido já eram falecidos antes de agosto de 1710 , conforme declarado nos registros de Dispensa Matrimonial de sua filha Bárbara de Escócia Sandoval

Deixaram , pelo menos , as seguintes filhas :

.... 1) Bárbara de Escócia Sandoval , que segue no capítulo seguinte

.....2) Ana de Escócia , possivelmente filha de Bárbara da Silva Sandoval e de Antonio Ribeiro Espinha. Inventariada em 1726 , cujo processo desapareceu dos Arquivos da Casa do Pilar (Arquivo da Inconfidência) em Ouro Preto , MG.


Cap. IV – Bárbara de Escócia Sandoval – O elo que faltava à genealogia de Rheingantz

Nascida no Rio de Janeiro por 1695 , foi casada , aos 23 de agosto de 1710 , com João Lourenço de Magalhães , falecido antes de 1735 , natural e batizado na Vila de Viana (atual Viana do Castelo) , Arcebispado de Braga , Portugal , filho de Domingos Lourenço de Magalhães e de s/m Domingas de Morais.

O elo que faltava :

“Informações que foram retiradas do processo de habilitação matrimonial de João Lourenço de Magalhães e Bárbara Escócia Sandoval (Notação HM 766010).


Ele: Natural da Vila de Viana. Batizado na Igreja Matriz da dita Vila do Arcebispado de Braga. Filho legitimo de Domingos Lourenço Magalhães e de Domingas de Morais. Morador na Candelária. Morou durante um ano na cidade do Porto, na Freguesia de São Nicolau. E na cidade de Lisboa morou dois anos na Freguesia de Santa Justa.


Ela: Natural desta cidade. Filha legítima de Antonio Ribeiro Espinha e de Barbara da Silva Sandoval (falecidos).


As datas limites do Processo de Habilitação Matrimonial são 12 de agosto de 1710 e 22 de agosto de 1710. A dispensa refere-se ao fato do contraente masculino ter que justificar ser desempedido. Daí os testemunhos em seu favor.


Testemunhas do contraente masculino:


Lourenço Antunes Viana: Morador nesta cidade. Natural da Vila de Viana. Com 26 anos. Vive de negócios.
Simão Amorim Barros: Morador nesta cidade, Natural da Vila de Viana. Com 25 anos. Alferes da Ordenancia do Capitão Jose Mendes de Carvalho.
Silvestre de Souza: Morador nesta cidade. Natural da Vila de Viana. Cacheiro de Manoel de [corroído] Vasconcelos
(Dos Arquivos da Cúria do Rio de Janeiro)".
.
Do livro de casamentos da antiga Sé do Rio de Janeiro (Santíssimo Sacramento) , fls 17 verso , registro de casamento na Igreja de São Jose do Rio de Janeiro :
.
"João Lourenço e
d. Barbara
de Escocia
Em vinte e tres de Agosto de mil e setesentos e dez annos pellas quatro para /as sinco horas da tarde nesta igreja de Sam Joseph em minha prezença / com palavras de prezente na forma do Sagrado Concilio Tridentino se / Recebeo João Lourenço de Mag.ens natural da Villa de Viana [atual Viana do Castelo] e mora / dor nesta Cidade nesta freguezia filho legitimo de Domingos Lourenço de Maga / lhaens e de sua molher Domingas de Morais Com Dona Barbara de Escocia / Sandoval natural desta Cidade baptizada e moradora nesta freguezia filha / legitima de Antonio Ribeiro de Espinha e de sua molher Barbara da Sil / va Sandoval ja defuntos feitas todas as diligencias sendo testemunhas Antonio Moreira da Cruz e sua molher Dona Izabel do Amaral e Antonio / Ribeiro Nunes e outras pessoas de prezente q. se achavão de que fiz este termo / era ut supra.
o Cura P.e Bar.meu de França"

Bárbara de Escócia Sandoval e seu marido João Lourenço de Magalhães deixaram , pelo menos , as filhas :
.
......1) Catarina de Escócia Sandoval , nascida por 1711 na freguesia de Itatiaia , MG , falecida aos 30/08/1738. Foi casada , por 1725 , com Manoel Martins Ruyvo , natural do Lugar da Bagoada , freguesia de Loivo , Vila Nova de Cerveira , Portugal , batizado no mesmo lugar aos 05/02/1697 , filho de Domingos Martins Ruyvo e de s/m Catarina Martins. Deixaram , pelo menos , as filhas : Ana Rangel de Macedo , Leonarda , Manoel e Ângela , que seguem através do blog : http://escociasandoval.blogspot.com/
.
......2) Thereza Quitéria de Jesus , que foi casada , aos 02/05/1735 , na Capela de Santa Rita de Ouro Preto , MG , com João Barbosa Lima , iniciando assim o tronco da família Barbosa Sandoval , que seguem abaixo nos dois capítulos seguintes e seus descendentes nos demais capítulos.

Cap. V – A origem portuguesa do apelido Barbosa

Izabel Barbosa nasceu por 1580 , casada com Martim Vaz , eram moradores na Vila Nova de Cerveira , Viana do Castelo , Portugal.

“Vila Nova de Cerveira, localidade ribeirinha do rio Minho, a 35 m de altitude, foi criada em 1320 por D. Dinis ÿ Cerveira, era importante para a defesa da passagem fluvial que dá acesso ao trânsito para a Ribeira Lima através da vertente oriental da Serra d'Arga

Tiveram a filha Joana Barbosa , nascida por 1605 , aos 31/10/1622 Joana casou-se na Igreja de São Cipriano com Gaspar Lourenço , o Velho , carpinteiro e pedreiro , filho de Lourenço Pires e de Maria Lourença. Gaspar faleceu aos 06/05/1684 , deixou um filho de mesmo nome , batizado aos 02/09/1630.
Dos livros eclesiásticos de Vila Nova de Cerveira , Viana do Castelo , Portugal :

“Aos trinta e hú [trinta e um] dias do mes de outubro de seis centos e vinte e dous anos foi en húa [uma] segunda fr.a [feira] Recebi Gaspar Lco [Lourenço] f.o de Lco Piz [filho de Lourenço Pires] e de sua molher M.a Lca [Maria Lourença] e a Joanna Barbosa f.a [filha] de "Martim Vaz" e de sua molher Isabel Barbosa , forão t.as [testemunhas] Fernão ros [Rodrigues] .... e Paschoal da Cunha e outros muitos.
P.e [Padre] João Dantas”.


Gaspar Lourenço , o filho , morador nos arrabaldes de Vila Nova de Cerveira , nascido em 1630 , casou-se por 1650 com Catarina Dantas , filha de Manoel Dantas e de Izabel Rodrigues. Tiveram a filha Maria Dantas , batizada aos 21/01/1663.

“...o patriotismo dos moradores de Cerveira, pois em 1643, assediada a vila por forças espanholas invasoras, ela lhes resistiu valorosamente forçando-as a desistirem do intento”.
“Foi Vila Nova de Cerveira praça de guerra, cercada por muros e fossos, mandados fazer em 1660 por ordem do governador das armas desta província. D. Diogo de Lima, Visconde de Vila Nova de Cerveira”.


Aos 25/02/1685 , Maria Dantas casou-se com o Sgt. Domingos Martins , nascido aos 18/05/1642 na freguesia de Calheiros , Ponte de Lima , filho de Manoel Martins e de Maria Rodrigues , conforme os processos de “genere et moribus” dos padres Manoel Barbosa e Antonio Barbosa Dantas.
Maria Dantas , viúva , faleceu em Setembro de 1727 na mesma Vila de Nova Cerveira.
Vários registros de batizados , pelos anos de 1700 , dos filhos do Sgt. Domingos Martins e de Maria Dantas informam que eram moradores na Rua do Cais em Vila Nova de Cerveira. Esta Rua do Cais ainda existe com o mesmo nome.

“Debruçada sobre o rio Minho e fronteira à vila espanhola de Goián, Vila Nova de Cerveira possui belas casas dos séculos XVII e XVIII a ladear as ruas estreitas e uma atmosfera tranqüila que contribui para realçar o seu encanto pitoresco”.

Maria Dantas e seu marido o Sgt. Domingos Martins deixaram os filhos :

..... 1) Maria Dantas , nasc. 1688
..... 2) Manoel Barbosa (padre) , nasc. 1691
..... 3) Domingos , nasc. 1694
.... 4) João Barbosa Lima , batizado 01/03/1698 na Igr. de São Cipriano. (que segue cap. seguinte)
..... 5) Antonio Barbosa Dantas (padre) , nasc. c. 1700
..... 6) Catherina , nasc. 1700
..... 7) Antonia , nasc. 1704.

Todos naturais de Vila Nova de Cerveira , Viana do Castelo , Portugal

Cap. VI – A origem do tronco Barbosa Sandoval

Registro de casamento de João Barbosa Lima e Thereza Quitéria de Jesus (Sandoval)

Do Livro de Casamentos da Freguesia de Itatiaia , MG :

“Em dous de Mayo de mil sete centos e trinta e cinco pello meio dia na Capella de Sta Rita desta freg.a [freguesia] feitas as denunciações na forma do Sagrado Concilho Trid. [Tridentino] nesta igreja aonde a contrahente é moradora sem se descobrir impedimento algum , como consta da provisão do Rev.do Dr Vig.o da Vara [Reverendo Doutor Vigário] , q. fica em meo poder , em presença do Rd.o Jose Antonio Barbosa Dantas de licença minha , e das testemunhas Bartolomeu Roiz (S.sa?) , Manoel Martins Ruyvo e Felipe Neri , todos casados e moradores desta freg.a Se casarão em face da igreja solemm.te [solemnemente] por pallavras João Barbosa Lima filho Legitimo de Domingos Martins e sua mulher Maria Dantas já defuntos , natural da Villa Nova de Silveira [Cerveira] Arcebispado de Braga e morador em Villa Rica do Ouro Preto com D. Theresa Quiteria de Jesus natural e baptizada na Villa de Ribeirão do Carmo destas Minas filha legitima de João Lourenço de Magalhães já defunto e de sua mulher Barbara de Escocia moradores nesta freg.a , e logo se lhe derão as bençãos conforme os ritos e cerimonias da ......... e p.a fiz este assento q. prezente assignei.
O Vig.o Antonio Furtado de M.ca [Mendonça]
Felipe Neri
Manoel Miz Ruyvo
O P. Antonio Barbosa Dantas”


Do registro acima e de pesquisas complementares , levaram-me as seguintes conclusões:

..... 1) Atualmente , a capela de Santa Rita pertence ao distrito de Santa Rita de Ouro Preto , fazendo parte da cidade de Ouro Preto , MG.
..... 2) O Rev.do Jose Antonio Barbosa Dantas era irmão de João Barbosa Lima.
..... 3) A testemunha Manoel Martins Ruivo era cunhado de João Barbosa Lima e era casado com Catarina Escócia Sandoval , irmã de Bárbara de Escócia. Portanto , Bárbara de Escócia era também Sandoval e aqui está a origem do apelido Sandoval , apelido que foi transferido a alguns dos filhos de João Barbosa Lima e de sua mulher Thereza Quitéria de Jesus (Sandoval).
Catarina de Escócia Sandoval e sua família estão descritas no Blog : http://escociasandoval.blogspot.com/
..... 4) Conforme declarado no registro de casamento , Thereza Quitéria de Jesus era natural e batizada na Vila de Ribeirão do Carmo , atual Cidade de Mariana , MG.
..... 5) Os pais de Thereza Quitéria de Jesus , João Lourenço de Magalhães e sua mulher Bárbara de Escócia (Sandoval ) , tem sua origem nos primeiros capítulos deste mesmo blog.
..... 6) Catarina de Escócia Sandoval , irmã da Bárbara de Escócia , era natural de Itatiaia , MG. Mas , segundo um registro de batizado de seu neto , em Portugal , ela seria de Itaverava , MG. Ambas as localidades são vizinhas.

Cap. VII – Os rastros deixados por João Barbosa Lima e Thereza Quitéria de Jesus

Do Inventário de João Barbosa Lima :

Faleceu na freguesia do Ouro Branco , MG , João Barbosa Lima aos 31/10/1759. Foi inventariante a viúva Thereza Quitéria de Jesus. Deixou os seguintes filhos :

..... 1) Dona Maria Thereza Rangel de São Jose com 22 anos.
..... 2) Antonio Barbosa Sandoval com 17 anos , futuro camarista em Pitangui , MG.
..... 3) Joaquim Barbosa Sandoval com 15 anos.
..... 4) Dona Ana Felizarda da Trindade com 13 anos.
..... 5) Jose Barbosa Lima com 11 anos.
..... 6) Inácio Barbosa de Marins com 7 anos.
..... 7) Dona Thereza Maria de Jesus com 5 anos.
..... 8) Dona Luiza Maria ...... de Jesus com 2 para 3 e anos.
... . 9) Francisco Antonio com 1 ano.

Deixou , entre outros , os bens seguintes : Um espadim de prata , 64 livros velhos , 12 pratos velhos de estanho , uma espada com punho em cobre , enxadas , machados , almocatres , sela velha , lençóis e fronhas velhas , toalhas velhas , casacas muito usadas , sete escravos , etc.
Um sítio de terras junto ao Itaverava com duas casas de vivendas velhas cobertas de telhas , paiol , moinho , avaliados em 520$000 reis.
Deixou vários animais , cavalos , porcos e vacas.
Crédito no valor de 284$000 reis do Padre Antonio Barbosa Dantas , morador em Pitangui e irmão do falecido João Barbosa Lima.
Dívidas várias a Ignácio Gonçalves Pereira , a Irmandade do S. S. , a Jose de Castro , a Domingos Alves Lobo , ao capitão João de Souza Lisboa , a Bento de Mello , a Bento Martins Flores , ao vigário da freguesia de Ouro Branco por desobrigas.
[João de Souza Lisboa foi em seu tempo o maior contratador , rico homem de negócios em Ouro Preto , construtor de inúmeros patrimônios].

Das poucas informações sobre Thereza Quitéria de Jesus :

"Dizem Antonio Barboza Sandoval, e outros, f.os, genros, e Erd.os legitimos de sua Mai D. Theresa Quiteria de Jesus, e de seu primeiro marido João Barboza Lima, q.e falecendo esse na Com.ca de V.a Rica, depois de feito Inventr.o pelo Juizo de Orfaons, p.r serem os Sup.tes antão menores, se mudou a viuva sua Mai p.a esse Distr.o onde rezide com os Sup.tes mais de vinte annos, e depois de ter avansado mais de cincoenta annos se cazou segunda vez com Fernando de Souza Lobo haverão seis annos pouco mais, ou menos, sendo ele pobre e tendo aquela perto de vinte escr.os no tp.o deste cazam.to q.e hoje se achão diminutos, e p.r q.e faleceo da vida prez.te haverá vinte dias e o d.o seu segundo marido athé agora não tem dado os bens a Inventr.o e se corre evidente suspeita, q.e se retire e leve consigo aqueles escr.os em prejuizo dos Supl.tes, em razão de não ter neste Distr.o mais q.e humas terrinhas, q.e não chegam a valer - 50$000 R, achar-se endividado, e andar oculto, com o temor de ser prezo depois de andar tomando pareceres p.a reter em si os bens, e não os dar a Inventr.o tendo se lhe dezenganado de não ter direito na sua pertenção; circunstancias todas q.e poem aos Sup.tes em evidente risco de perder suas legitimas e Er.ças p.r consistir a maior parte os Escr.os e algum pouco o gado vacum, e porcos, q.e facilm.te se podem dispor e desencaminhar; p.a q.e se acautele este damno querem os Sup.tes justificar o deduzido perante V.M.ce p.r serem hoje mayores de vinte e cinco annos, e satisfeito se "despache" mandado de sequestro e segurança em todos os bens moveis e semoventes e q.e estes se encontrão em depozito seguro notificando-se logo ao Sup.do p.a dentro de tres dias dar os beins a Inventr.o, pena de os dar qualq.r dos Sup.tes a sua revelia passado o d.o termo, e cazo conste ao ser outro om.mo Sup.do o cite na pessoa de famulo, ou vizinho mais chegado .... [Doctos de Pitangui de 1787]".

Cap. VIII – Dos filhos de João Barbosa Lima e de s/m Thereza Quitéria de Jesus

..... 1) Maria Thereza Rangel de São Jose.

Do livro de Reg. Paroquiais de Itatiaia , MG :

“Em dezacete dias do mes de Marsso de mil sete centos e trinta e oito annos Baptizei na Capela de Santa Rita a Maria filha de João Barboza Lima e de Thereza Quiteria de Jesus sua molher lhe puz os Santos Oleos foi padrinho o Reverendo padre Bauptista ferreira da Silva morador na freguezia de Antonio Dias de que fiz este assento que assignei.
O Coadjutor
O P. Diogo João .....”.


Talvez seja a mesma que casou-se com o Sgt. Manuel Xavier da Silva Toledo.
.
......2) João , não foi citado no inventário de seu pai em 1759 , deve ter falecido antes.
.
Dos registros de batismos e de matrimônios de 1738 a 1747 da Igreja de Santo Antonio , em Ouro Branco , MG :
.
"Aos quinze dias do mês de dezembro de mil setecentos e trinta e nove na Capela de Santa Rita filial da Matriz de Ibertioga, com licença por escrito do Reverendo Padre Gonçalo de Moura Martinho, Vigário da dita Matriz, batizei e pús os santos óleos a João inocente, filho de João Barbosa Lima e de sua mulher Thereza Quintéria de Jesus, fregueses e moradores nesta freguesia de Santo Antônio do Ouro Branco. Foram padrinhos Ignácio Gonçalves Pereira, morador no Ouro Preto, do que fiz este assento, que por ser verdade assignei.
(a) O Vigário Romão Furtado de Mendonça".

..... 3) Antonio Barbosa Sandoval :

De um processo de Pitangui , por 1806 , onde Antonio Barbosa Sandoval é citado como testemunha , ele declara ser natural de Antonio Dias , Ouro Preto. Declara idade de 66 anos e profissão de Solicitador de Causas.
Em 1797 , assina carta referente à homenagem que a Vila de Pitangui fez pelo nascimento de Maria Isabel de Bragança nascida a 19 de Maio de 1797, filha do Príncipe João de Bragança, futuro rei D. João VI e da princesa Carlota Joaquina. Futura rainha de Espanha.
Do livro "Pesquisando a História de Pitangui" , do autor Silvio Gabriel Diniz , Antonio Barbosa Sandoval foi tenente e camarista (vereador) em Pitangui nos anos de 1778 e 1808.
Antonio Barbosa Sandoval foi casado com Anna Maria de São Joaquim , falecida em 1798 em Pitangui. Do inventário de Anna Maria , ficaram os seguintes filhos :
.......... 3.1) Manoel Antonio Barbosa Sandoval
.......... 3.2) Anna Perpétua de Jesus
.......... 3.3) Guarda-Mor Jose Antonio Barbosa Sandoval
.......... 3.4) Antonia Maria.

..... 4) Joaquim Barbosa Sandoval.

Nascido por 1745 em Ouro Branco , MG , casado com Helena Maria de Jesus , natural da Freguesia de Nossa Senhora da Boa Viagem de Itabira , atual Itabirito , MG. Este casal deixou , pelo menos , quatro filhos , que seguiram para Franca , SP , no início do século XIX , foram eles :

.......... 4-1) Manoel Barbosa Sandoval cc Brígida Maria de Oliveira e depois de viúvo cc Luíza Maria do Espírito Santo.
.......... 4-2) Alferes Caetano Barbosa Sandoval cc Thereza Maria de Jesus.
.......... 4-3) Francisco Barbosa Sandoval cc Maria Inácia da Silveira , ou Francisco Barbosa Sandoval (II) cc Ana Felizarda (Felisberta) da Silveira.
.......... 4-4) Cap. Antonio Barbosa Sandoval cc com Ignez Maria Michelina da Silva. Ignez segue através do blog : http://ignezmariamichelina.blogspot.com/

“Aos vinte e oito de Oitubro de mil oito centos e trinta e tres annos nesta Freguezia da Franca faleceo de velhice com a benção Hilena Maria de Jesus, cazada digo viuva por obito de Joaquim Barboza Sandoval. Seu corpo envolto em pano preto jas no Cemiterio desta Matris, feita a Encomendação competente. O Vigrð Manuel Coelho Vital”. (Colaboração de Sônia Regina Belato de Freitas Lelis).
.
Provável registro de batismo de Helena Maria de Jesus e registro de casamento de seus pais :
.
“Aos desaseis dias do mês de Novembro do anno de mil e sete centos e quarenta e quatro na Capella de Santa Rita destricto desta freguezia de Nossa Senhora da Boa Viagem da Itaubira bautizey e pus os Santos Oleos a Ellena filha legitima do Tenente João de Freytas da Sylveyra e de sua mulher Ellena da Cruz do Amaral. Forão Padrinhos Antonio Affonço da Cruz, e Anna Maria da Assunção mulher do Capitão Luis de Castilho Valença. Todos moradores nesta freguezia de que fis este assento. O Vigario João do Amaral Abreu” (TR-05-IJCSUD  - Lv.Batizados de Itabirito – fls.30)
.
“Aos quatro dias do mês de Outubro de mil sete centos e trinta e quatro pellas des horas da manhã pouco mais o menos depois de feitas as denunciasoins nas duas freguezias desta Villa na forma do Sagrado Concilio Tridentino nesta Matris de Nossa Senhora da Conceição donde os contraentes são moradores na minha prezença se cazarão por palavras de prezente João de Freitas Silvera filho legitimo de Rafael de Freitas Silvera e de sua mulher Anna de Almeida natural da Villa de Guimarains Arcebispado de Braga com Ellena da Crus do Amaral viuva que ficou do defunto Sargto. Mor Manoel Moreira Lima moradores nesta freguezia por quanto se mostrarão diante do Rdo. Vigaro. da vara serem livres e desempedidos e não terem empedimento algum que por tais os julgou sendo prezentes por testemunhas o Mestre de Campo João Ferreira Tavares de Govea e Bernaldo Ventura de Amorim e outros muitos que assinarão Commigo de que fis esse assento dia ut [supra]. O Vigro. Coadjutor Nicolao Barreto de Gusmão”  (TR.05-IJCSUD - Lv.Casamentos da Matriz de N.S.da Conceição de Villa Rica - fls.17).
.
Estes quatro irmãos , que seguiram para Franca , SP , seguem através do blog : http://sandovalemfranca.blogspot.com/

Dos livros eclesiásticos de Itatiaia , MG :

“Aos quinze de Janeiro de mil oito centos e seis pelas onze horas do dia nesta Matriz de Santo Antonio da Itatiaia assisti ao Matrimonio que solemnemente celebraram Antonio Barboza Sandovalle filho legitimo de Joaquim Barboza Sam do Valle e de Elena Maria de Jesus nascido e batizado na Capella de Nossa Senhora do Rozario filial da freguezia de Santa Luzia e dona Ignes Maria Michilina da Silva filha legitima do capitam Manoel da Costa Silva e de dona Thereza de Jesus , digo , e de dona Marianna Thereza de Jesus natural e baptizada nesta freguezia de Santo Antonio da Itatiaia mostrando-se habilitados pelo Reverendo Doutor Vigario da Vara Jose Alves Ferreira Cabral e foram denunciados nesta freguezia as canonicas vezes e sem impedimento em presença das testemunhas os Reverendos padres Manoel Alves de Carvalho e João Manoel de Araujo e outros muitos feitas as cerimonias que determina o Concilio Tridentino com ....... e o ritual Romano e logo lhes dei as bençãos nupciais e para constar fiz este assento Itatiaia dia mes e ora ut supra.
O Vigario Jose Ferr.a da Cunha”.


Antonio Barbosa Sandoval usava do título de capitão , cuja patente oficial nunca foi encontrada , sendo mais provável que fosse um título adotado por sua força política local , o que era bem comum em outros tempos. Natural de Santa Luzia do Rio das Velhas, hoje Fidalgo, distrito de Pedro Leopoldo, MG , nascido pelos anos de 1785. Casou-se com Ignez Miquelina da Silva , filha de Manoel da Costa Silva e de Mariana Thereza de Jesus. NP de João Garcia da Fonseca e de Catarina Lopes. NM de João Fernandes Guimarães e de Izabel Ferreira , cujos nomes de família indicam que Ignez não tinha nada de índia , apenas lendas familiares que se perpetuaram.
Pelos anos de 1815 , o capitão Antonio Barbosa Sandoval já se encontrava na região da atual cidade de Franca , SP. Deixaram os Barbosas Sandovais da região de Franca grande quantidade de descendentes. Em 1838 , por disputas políticas , quando houve o terceiro ataque da Anselmada , a fuga foi para Sorocaba , SP , onde faleceu o capitão Antonio Barbosa Sandoval aos 21/05/1848.
Seguem seus descendentes através do blog : http://sandovaloestepaulista.blogspot.com/
.
..... 5) Ana Felizarda da Trindade.

Nasceu por 1747 , faleceu em 12/08/1815 em São Gonçalo da Onça , MG. Foi casada com André Domingos de Carvalho.

..... 6) Jose Barbosa Lima , nascido 1749.

..... 7) Inácio Barbosa de Marins , nascido 1753.

..... 8) Thereza Maria de Jesus , nascida 1755.

..... 9) Luiza Maria de Jesus , nascida 1757

.... 10) Francisco Antonio Barbosa Sandoval , nascido 1759 , que segue no cap. seguinte :

Cap. IX – O Velho Chico Barbosa Sandoval

Francisco Antonio Barbosa Sandoval ou apenas Francisco Barbosa Sandoval nasceu em 1759 , muito provavelmente em terras citadas no inventário de seu pai , “pelas Cabeceyras do Itaberaba” , MG. Pouco tempo depois do falecimento de seu pai João Barbosa Lima , sua mãe , Thereza Quitéria , seguiu para as bandas de Pitangui , mais precisamente na localidade do Arraial Novo da Onça ou Onça do Rio São João Acima ou ainda Jaguaruna da Onça , atual Onça do Pitangui , MG. Casou-se , primeiramente , com Maria Antonia da Conceição pelos anos de 1780 , onde tiveram os primeiros filhos na Onça do Pitangui. Pelos anos de 1787 , seguiu com sua família para São Gonçalo do Sapucaí , MG , onde faleceu sua esposa Maria Antonia aos 6/6/1798.
.
“Aos seis de Junho de mil sete centos e noventa e oito foi encõmendada , e sepultada dentro da Capela de S. Gonçalo [São Gonçalo do Sapucaí] da grade para baixo , e acõpanhada por cinco Sacerdotes q. todos dicerão Missa de corpo prezente e foi involta em habito do Carmo Maria Antonia mulher de Francisco Barboza Sandoval morador em S. Luzia. Morreo cõ todos os Sacramentos.
O Coad.or Dom.os da S.a Lobo. [Coadjutor Domingos da Silva Lobo]”.


Francisco Barbosa Sandoval casou-se , por 1805 , com sua segunda esposa Maria Felicidade de Jesus , natural de Três Pontas , MG , nascida em 1785 , filha de Joaquim Rodrigues Simões e de Joaquina Maria de Jesus.

Filhos de Francisco Barbosa Sandoval e sua primeira mulher Maria Antonia :

.......... 1) Francisco Barbosa Sandoval (filho) , nascido 1783.

Casou-se , por 1812 , com Ana Joaquina Rodrigues Simões , natural de Três Pontas , MG. Depois de viúvo , por 1855 , casou-se com Ana Maria de Jesus , natural da região de Varginha , MG , filha de João Jose Mendes e de s/m Bárbara Maria Rangel. Francisco Barbosa Sandoval (filho) faleceu em 1/1/1859.

.......... 2) Ana Rangel de Jesus , nascida por 1787

Natural de Pitangui , ou Onça do Pitangui , MG. Casou-se aos 8/2/1807 , na paróquia de Campanha , com Antonio Jose Mendes , viúvo de Maria Felizarda da Costa. Depois de viúva , Ana Rangel casou-se com Joaquim Inácio da Silva. Ana Rangel faleceu na Mutuca , atual Elói Mendes , MG , aos 9/10/1864.

Do Livro de Casamentos da Paróquia de Campanha , MG :

"Aos oito dias de fevereiro de mil oito centos e sette , feitas as diligencias necessarias e sem impedimento pelas oito horas da noite administrei o sacramento do Matrimonio de Antonio Jose Mendes , viuvo que ficou de Maria Felizarda da Costa falecida e sepultada na freguezia de Santa Anna do Sapucahy do Bispado de São Paulo , e Anna Rangel de Jesus , filha legitima de Francisco Barboza Sandoval e de Maria Antonia do Canto (ou Couto) , natural e baptizada na freguezia de Pitangui deste Bispado e logo lhes dei as bençãos nupciaes na presensa dos que assignarão ao ..... coadjutor .... "

....... . 3) Manoel Francisco Barbosa Sandoval , nascido em 1790 , que segue no cap. seguinte :

.......... 4) Joaquina Rangel , nascida em SGS 1793 , foi cc João Rodrigues

“Joaquina, filha de Francisco Barbosa e Maria Antônia, foi batizada em São Gonçalo do Sapucaí a 6-1-1793, sendo padrinhos Inácio Xavier de Toledo e Úrsula Francisca Xavier de Toledo”.

.......... 5) Antonio Barbosa Sandoval , nascido 1794

Nasceu em 1794 em São Gonçalo do Sapucaí , MG , faleceu aos 22/02/1875 em Elói Mendes , MG. Casou-se por 1817 com Beralda Maria de Jesus , filha de Antonio Jose Mendes e s/m Maria Felizarda da Costa.

.......... 6) Eleutério Barbosa Sandoval , nascido por 1795

Nasceu em SGS por 1795 , faleceu em Campanha aos 8/4/1838. Foi cc Prudenciana Maria de Souza , filha de Luis Manoel de Souza Almeida e de Ana Maria da Silva.

.......... 7) Antonia Eufrásia Rangel , nascida por 1796

Casou-se , primeiramente , com Domiciano Jose Mendes. Depois de viúva , casou-se com Francisco Jose Pereira. Deixou os seguintes filhos :
.
Do primeiro casamento , com Domiciano Jose Mendes :
.
..............7.1) Severino , nascido em 1817
..............7.2) Maria , nascida em 1819
.
Do segundo casamento , com Francisco Jose Pereira :
.
..............7.3) Silvestre
..............7.4) Antonia , nasc. c. 1823
..............7.5) Rita , nasc. 1824
..............7.6) Flavio , nasc. em 1827
..............7.7) Jesuina , nasc. c. 1829
..............7.8) Maria , nasc. c. 1832
..............7.9) Faustino , nasc. 1834
............7.10) Antonio (a) , nasc. 1837
.
Em 1831 , foram recenseados pelos censos de São Gonçalo do Sapucaí , MG
Em 1833 , eram moradores na freguesia de São João Baptista do Douradinho , conforme inventário do pai de Antonia Eufrásia Rangel.
Em 1841 , foram recenseados como moradores em Douradinho (atual distrito de Machado).
.
Do livro de Casamentos de 1806-1836 de Santana do Sapucaí (atual Silvianópolis) , MG :
.
"Francisco Jose Pereira com Antonia Eufrasia Rangel
.
Aos vinte e tres de Novembro de mil e oitocentos e vinte e dois nesta Matriz / depois de feitas as diligencias de estillo e sem impedimento , em prezença do / Coadjutor o Padre Manoel Martins Coimbra , pelas onze horas do dia , com pa- / lavras de prezente se receberão em legitimo Matrimonio Francisco Jose Pereira / viuvo por fallecimento de Marianna "Fenix" do Desterro , com Antonia Eufrasia Ran- / gel tambem viuva por fallecimento de Domiciano Jose Mendes , ambos os contra- / hentes fregueses desta freguezia. Tudo se fez na conformidade do Ritual Ro- / mano e costume da Santa Igreja e em prezença de Manoel da Costa Ho- / mem e Vicente Jose da Costa , q. commigo asignarão este assento , q. / para constar aqui o escrevo.
O Vigr.o Manoel da Costa Almeida.
Manoel da Costa Homem.
Cruz + de Vicente J.e da Costa"
.
.Filhos de Francisco Barbosa Sandoval e sua segunda mulher Maria Felicidade :

.......... 8) Joaquim Barbosa Sandoval , cc Antonia Conceição dos Reis.
.......... 9) Jose Barbosa Sandoval , cc Joana Maria Nepomuceno e cc Ana Eufrásia , filha de Manoel Francisco Barbosa Sandoval e de s/m Eufrazia Joaquina Rosa.
.......... 10) Juventino Barbosa Sandoval , cc Joaquina Francelina do Nascimento.
.......... 11) Guilhermina Maria de Jesus . cc João Pereira Caixeta e cc Joaquim Jose Ferreira Campanham.
.......... 12) Iria Umbelina de Jesus , cc Francisco Theodoro de Almeida.
.......... 13) Francisca Barbosa Sandoval , cc Januário de Carvalho.
.......... 14) Ana Barbosa Sandoval
.......... 15) Umbelina Maria de Jesus , cc Manoel Ribeiro da Silva.
.......... 16) Balbina Barbosa Sandoval , cc Luis Nunes Pinheiro.
.......... 17) Blandina Maria de Jesus , cc Jose Lopes Pinheiro.
.......... 18) Felisbina Barbosa Sandoval.

A maior parte dos filhos de Francisco Barbosa Sandoval deixou descendentes pela região de São Gonçalo do Sapucaí e de Pouso Alegre , MG.
Francisco Barbosa Sandoval faleceu aos 14/11/1831 em São Gonçalo do Sapucaí , MG , no antigo Arraial de São Gonçalo , Termo da Vila de Campanha do Rio Verde, Comarca do Rio das Mortes , Minas. Foi sepultado na Matriz Nova de Campanha , MG.

Os filhos e descendentes do segundo matrimônio de Francisco Barbosa Sandoval com Maria Felicidade , seguem através do blog :
http://paraisopolisparaibuna.blogspot.com/

Do Livro de Óbitos de Campanha , MG :

“Aos quatorze de Novembro de mil oito centos e trinta e hum falecendo de hidropezia na idade de secenta e quatro annos Francisco Barboza Sandoval foi acompanhado encomendado e sepulttado na Matriz Nova.
O V.o Jose de Souza Lima”.

Transcrição , na íntegra , do Inventário de Francisco Barbosa Sandoval cujo original encontra-se sob a guarda do CEMEC - Centro de Memória Cultural do Sul de Minas , Campanha , MG

"Inventário de Francisco Barboza Sandoval - 1.833


PAG. 1 Juizo de Orphaons 1.833
Inventario de Francisco Barboza Sandoval
Inventariante a viuva D. Maria Felicidade de Jesus
Escr.am M.ça
Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil oito centos e trinta e trez.




PAG. 1
Juiz de Orphaons 1.833
Inventario de Francisco Barboza Sandoval
Inventariante a Viuva D. Maria Felicidade de Jesus
Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jezus Christo de mil oito centos e trinta e trez , aos vinte seis dias do mez de Janeiro do dito anno , nesta Fazenda da Rozeta , Freguezia do Arraial de Sam Gonçallo , Termo da Villa da Campanha do Rio Verde , Minas e Comarca do Rio das Mortes , em Cazas da Dona Maria Felicidade de Jesuz , viuva do falecido Francisco Barboza Sandoval a onde fui vindo de Comissam do falicido , digo , de Permissam ao Cidadam Veriador da Camara Manoel Luiz de Souza , Juiz de Fora e Orfaons pella ley para efeito de proceder a ynventario nos bens que ficaram por falecimento de Francisco Barboza Sandoval , e sendo prezente a Viuva do mesmo Dona Maria Felicidade de Jesus a qual deferi o juramento dos Santos Evangelhos conforme encarregado.



Pag. 2
encarregado jurace de sem dollo Malicia ou Calunia dar a descrever no prezente inventario todos os bens que ficaram por falecimento de seu Marido asim dinheiro como ouro prata cobre ferro ferramenta e tudo o mais que valor tivece asim como ouvece de declarar o dia mez e anno em que faleceu o dito seu Marido e si com testamento ou sem elle e os nomes idades estados de todos herdeiros que do mesmo ficaram e que nomiace hum louvado pella sua parte para com o nomiado por mim por bem da Comessam em que ao diante vay por copia avaliassem proceder em avaliassam de todos os bens , digo mim por parte do Juizo por bem da Comissam que ao diante vay junto por copia procederem a avaliaçam de todos bens do seu Cazal e recebido por ella o dito juramento assim prometeu cumprir nomiou para sua parte , digo , nomiou para Louvado pella sua parte a Jose Ribeiro da Silva e por mim foi nomiado por parte do juizo ao Capitam Francisco Pereira de Sousa sendo ambos



Pag. 3
ambos lhe deferiu o juramento dos Santos Evangelhos na forma da ley e lhe foi encarregado jurace di bem e verdadeiramente com boa asam conciencia sem dollo malicia ou calunia proceder em avaliaçam de todos os bens que pela Inventariante lhe forem aprezentados e recebido por elles o dito juramento asim prometeram fazer de que digno para constar faço este Auto em que assigna a viuva Inventariante e Louvados declaro que a Inventariante por não saber ler nem escrever asigna com huma cruz e signal de que uza depois de lido por mim Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orphaons que o escrevy e assigno Amaro Glz. de Mça. + Signal de Ma. Felicid.e de Jezus. digo pr. não saber ler nem escrever asigna a seu rogo seu filho Joze Barboza Sandoval.Joze Barboza Sandoval.Jose Ribeiro da S.aFran.co Per.a de Souza
Copia da Comissam



Pag. 4
Copia da Comissam
O cidadam Brazileiro Manoel Luiz de Souza , Juiz de Fora e Orphaons , nesta Villa da Campanha do Rio Verde pela Ley = Mando ao Escrivam de Orphaons fassa o Inventario do finado Joze Eleuterio de Alvarenga e outros e de Francisco Barboza Sandoval e de João Lopes a da mulher de João Evangelista de Alvarenga e lhe dou comissam para os juramentos neceçario a que cumpra. Villa da Campanha aos vinte e quatro de Janeiro de mil oito centos e trinta e trez eu Francisco de Salles de Oliveira Braga Escrivam das Exzecuçons que o escrevy Souza. E nada mais se continha em o dito Mandado de Comissam o que tudo bem e fielmente para que o copiei e foi sem cousa que duvida faça , digo aos vinte e seis dias do mez de Janeiro do anno de mil oito centos e trinta e trez , eu Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orphaons que o escrevy conforme o original assigno Amaro G. de Mça.



Pag. 5
Declarou ella Inventariante a haver falecido seu Marido no dia quinze de Novembro do anno de mil oito centos e trinta e hum sem testamento sommente declarou dous apontamentos que ao diante vae junto por Copias. Declarou mais a Inventariante ter cido cazado seu Marido já com outra mulher da qual teve os filhos seguintes e que por morte da dita sua mulher da qual elle já hera viuvo e a havião alguns orphaons e elle nunca fez testamento os nomes dos herdeiros e Estado idade e tudo he o Seguinte digo nunca fez Inventario e que os nomes dos ditos herdeiros estado tudo he o que ao diante se cegue.
Herdr.os da pr.a m.er - (Herdeiros da Primeira Mulher)
- Francisco Barboza Sandoval idade quarenta e seis annos. (morador no Cubatam , 46).
- Anna , cazada com Joaquim , digo , Anna que já foi cazada da primeira com Antonio Joze Mendes e que por falecimento deste



Pag. 6
ficaram alguns filhos e hoje cazada com Joaq.m Ignacio da S.a (Agregado de D. Joana).
- Manoel Barboza idade quarenta annos.(no Sul , 40 a.)
- Joaquina já falecida e foi cazada com João Rodrigues e da qual ficaram quatro filhos.
- Leuterio Joze Barboza idade trinta e quatro annos. (Cubatam , 34a)
- Antonio Barboza idade trinta e dous annos.(S.m Dom.os 32)
- Antonia Cazada com Francisco Jose Pereira e já foi viuva do qual marido teve dous filhos. (Rozeta ella com marido no Douradinho , 31)
Herdr.os da 2a m.er - (Herdeiros da Segunda Mulher)
- Joaquim Barboza idade vinte e seis annos (Cubatam , 26)
- Joze Barboza idade vinte e sinco annos (Santa Luzia , 25)
- Guilhermina Cazada com Joaquim Ferreira Campanham (Mandu)
- Hiria Cazada com Francisco Theodoro (Mandu)
- Juventino



Pag. 7
- Juventino idade de dezoito annos (18a)
- Francisca cazada com Januario de Carvalho (Mugi)
- Umbelina idade quatorze annos (14a)
- Balbina onze annos (11)
- Blandina idade dez annos (10)
- Felisbina idade oito annos (8)



Bens
- Hum taxo de cobre velho , digo , de cobre novo com o pezo de seis libras , a mil reis a libra , seis mil reis = 6$000.

- Hum dito uzado , com o pezo de dizoito libras , sete mil e duzentos reis = 7$200.
- Hum par de estribo de latam uzado a dois mil quinhentos e secenta reis = 2$560.
- Huma labama com pezo de dizasete libras , trez mil e seis centos reis = 3$600.
- Quatro foices velhas , mil nove centos e vinte reis = 1$920.


Pag.8
- Trez emchadas velhas , mil quatrocentos e quarenta reis = 1$440.

- Hum machado velho , quinhentos reis = $500.
- Hum facão velho , trezentos reis = $300.
- Hum picam , oito centos reis = $800.
- Hum martello, huma emcho xata uzada , mil e seis centos reis = 1$600.
- Huma serra velha , digo , serra braçal , seis mil reis = 6$000.
- Huma espingarda cano fino , dous mil e quinhentos e secenta reis = 2$560.
- Huma dita lazarina uzada , quatro mil reis = 4$000.
- Huma dita em bom uzo , quatro mil e seis centos reis , digo , quatro mil e oito e oito centos reis = 4$800.
- Huma roda velha de relar mandioca , hum mil reis = 1$000.
- Huma lavadeira piquena a oito centos reis = $800.
- Huma sella uzada com freio , seis mil e quatrocentos reis = 6$400.


Pag. 9
- Duas rodas de fiar , quatro mil reis = 4$000.

- Trez ditas velhas sem caneleiro , trez mil reis = 3$000.
- Hum par de canastras uzadas , quatro mil reis = 4$000.
- Huma balança velha de quarta , trezentos e vinte reis = $320.
- Hum carro velho e cangas , seis mil reis = 6$000.
- Hum salterio piqueno , seis mil e quatro centos reis = 6$400.
- Hum oratorio com quatro imagens , dizaseis mil reis = 16$000.
- Huma caxa velha e hum catre , quatro mil reis = 4$000.
- Hum balança de pezar ouro , hum mil de duzentos reis = 1$200.
- Huma dita de araban seis centos e quarenta reis = $640.
- Hum peso de libra , duzentos reis = $200.
- Hum puchavante , seis centos reis = $600.
- Sinco barys velhos a quatro centos reis , dous mil reis = 2$000.


Pag.10
- Hum catre velho , hum mil reis = 1$000.

- Huma meza velha , hum mil reis = 1$000.
- Sete garrafas a cem mil reis, digo , a cem reis , sete centos reis = $700.
Anim.es
- Hum cavallo russo piqueno , dezaseis mil reis = 16$000.

- Hum dito piqueno castanho velho , dizaseis mil reis = 16$000.



Escr.os
- Antonio Banguella , vendido , duzentos mil reis = 200$000.



Bens de Raiz
- Huma Fazenda denominada a Rozeta que se compoem de capoeiras e matos virgens avaliada hum conto oito centos e vinte sete mil reis = 1:827$000.

- Na mesma Fazenda tem uma parte que comprou de Maria Pereira e seus herdeiros e de João Pedro depois do falecimento da primeira mulher , avaliada por duzentos e setenta e trez mil reis = 273$000.


Pag. 11
- Mais uma parte de terras que tem em sociedade com os herdeiros de Roza Maria , comprada por quarenta mil reis = 40$000.

- Mais humas cazas em Santa Luzia com sete portas , hum cazam por sincoenta e nove mil reis = 59$000.


Dividas Pacivas
- Aos herdeiros do falecido Joze Pereira Cacheta , cem mil reis = 100$000.

- A Manoel de Farias e Joaquim Antonio , vinte mil reis = 20$000.
- Mais , a nação , trinta e quatro mil reis = 34$000.
- Mais , a Francisco de tal , cunhado do capitam Antonio de Siqueira seguem a sidade de Sam Paulo , vinte mil reis = 20$000.
- Mais , em Junho a dahy a Anna cunhado do hum Furiel Joze Francisco , dezoito mil reis = 18$000.
- Devo mais a hum meu primo Antonio de tal , quatorze mil reis = 14$000.


Pag. 12
- Devo mais ao capitam Salvador Machado de Oliveira de veneta em Santa Luzia e receitas doze mil e quatro centos e oitenta reis = 12$480.

- Ao vigario Joze de Souza Lima , quatorze mil quinhentos e sincoenta reis 14$550.
- A Joze Antonio Lopes em Sam Gonçallo , oito mil seis centos e vinte reis = 8$620.



Declarou ella Inventariante ter as na caza contas que ajustam com algumas pessoas as de devidirem que depois dellas liquidadas prottesta ao prezente inventario para se proceder partilhas pelos intereçados.
Declarou ella Inventariante não a haver do prezente mais bens a dar a descrever no prezente inventario o que prottesta a fazer a todo o tempo que a sua noticia se achar para não imcorrer nas penas de ( .........) de que para constar faço en



Pag. 13
Encerramento em que assigna a Inventariante com huma cruz e signal de que uza por não sabe ler nem escrever com os Louvados depois de lido por mim Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orphaons que o escrevi e assigno Amaro Glz. d' M.ça.Signal de + M.a Felicidade de Jesus.Digo não sabe ler nem escrever assigna a seu rogo seu filho Joze Barboza Sandoval.Joze Barboza Sandoval.Joze Ribeiro da S.aFran.co Per.a de Souza.
Declarou mais ella Inventariante poçuir a seu Cazal huma Fazenda denominada o Cubatam e por se achar em litigio com outros por isso não mandou avaliar o que protesta fazer a todo o tempo que se desidir para a dar ao prezente inventario e fazer se partilhas pellos intereçados de que para constar faço esta declaraçam eu Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orphaons que escrevi.



Pag. 14
Declara que não vae mais junta a copia que atras fis menção dellas por so constar de humas dividas que o cazal deve que já vem das netas eu Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orphaons que o declarei.
Illmo S. r Juiz de Orfaons
Como a Inventr.e na ocaziam do Inventr.e declarou possuir a seu Cazal huma Fazenda denominada Cubatam que achava em litigio e p.r cujo motivo não foi avaliada e paresse de razam que si prosseda avaliassam para ser atendida na partilha. Assim como aver declarado q. tinha dividas e contas ajustar p.r isso parese justo q. se notifique a Inventr.e p.a em trez dias declarar o estado do Auto da fazenda p.a ser avaliada adindo se as dividas activas e passivas e conforme declarou com pena de sequestro e as mais de direito.V S.a deferira como for justoV.a da Camp.a 29 de Outubro de 1.833.O Escr.am de Orf.osAmaro Glz. de M.ça



Pag. 15
Concluzam
Aos vinte nove dias do mez de Outubro do anno de mil oito centos e trinta e trez , nesta Villa da Campanha do Rio Verde , Minas e Comarca do Sapocahy em o meu Cartorio e sendo ahy fasso estes Autos com Juizes ao Cidadam Juiz de Orfaons Francisco de Paula Ferreira Lopes para nelle proferir o Despacho que for justo de que para constar faço este termo , eu Amaro Gonçalves de Mendonça.Escrivam de Orfaons que o escrevy.
Clz.os
Notifique se a Inventariante com a pena cominada. Camp.a 29 de Outubro de 1.833. Paula Ferreira.
pr. não dar resposta a Inventr.e a conta q. lhes narey se passou infendado p.a a citasam. 29 de Janr.o 1.834. Do.
Data
Aos vinte e nove dias do mez de Outubro do anno de mil oito centos e trinta e trez nesta Villa da Campanha do Rio Verde , Minas e Comarca do Sapocahy , em Cazas do Cidadam Juiz de Orfaons Francisco de Paula Ferreira Lopes e sendo ahy pelo dito Juiz me foi dado estes Autos com o Dispacho Supra de que para constar faço este Termo em que assigno.



Pag. 16
assigno eu Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orfaons que o escrevy.



Pag. 17
O Cidadam Brazileiro Domingos Ferreira Lopes , Juiz de Orfaons nesta V.a da Campanha do Rio Verde e seu Termo. etc.
Mando a qlqr off.al de Justiça aq.m este for aprezentado Notifique a Dona Maria Felicidade de Jesus p.a no termo de trez dias declarar o estado do pleito da Fazenda de Cubatão p.a ser avaliada no ynventario do fal.do seu marido Fran.co Barboza Sandoval a p.a adir as dividas activas e passivas seguir se os Termos do ynventario pena de Sequestro e as mais da ley e q.e cumpram.V.a da Camp.a , 29 de Janr.o de 1.834 , eu Amaro Gonçalves de Mendonça , Escrivam de Orfaons que o escrevy.Paula Ferreira.
Certifico que foi A paragem denominada A Rozeta donde veve e mora a Sup.da Dona Maria Felicidade de Jesus sendo La a notifiquei na pessoa de seu Intiado de nome Fran.co Barboza Sandoval por me dizer q.to que sua Madrasta não estava em Caza porem quando viece lhe fassa serto a citação voltando eu em contrando o d.to Barboza me dice que tinha hido a villa tratar disso m.emo e nesta forma e ley por citado por todo o quantto o d.o no Mandado retro o referido he verdade em fe do que fasso o prezente. Villa da Camp.a , 28 de Abril de 1.834.Lucianno Teix.ra Fon.ca.



Pag. 18
Juntada
Aos trinta e hum dias do mez de Agosto do anno de mil oito centos e trinta e quatro , nesta Villa da Campanha do Rio Verde , Minas e Comarca do Sapocahy , em o meu Cartorio e sendo ahy compareceu prezente a viuva , digo , e sendo ahy ajunto a estes Autos huma Petiçam feita por parte da viuva e Inventariante Dona Maria Felicidade de Jesus , Despachada pelo cidadão Francisco de Paula Ferreira Lopes em a qual requeria no digo , Lopes Juiz de Orfaons na a qual Petiçam requeria ao mesmo Juiz fosse servido mandar passar mandado deregido a qualquer official de Justissa a numa falta do Escrivam do Juizo de Paz para deferir juramento a dous sugeito e fazerem avaliaçam das Fazenda da Rozeta e a do Cubatam para se adir a este inventario como tudo consta da dita Petiçam Mandado as Laudas de avaliaçam que tudo estes Autos ajunto e he a que ao diante segue de que para constar faço este Termo os juntada eu Amaro Gonçalves de Mendonça , Escrivam e Orfaons que o escrevy.



Pag. 19
Ill.mo Snr. Juiz de Orfaons
Diz D. Maria Felicid.e de Jesus , Viuva Invent.e de Fran.co Barboza Sandoval , q. procedendo se a Inventr.e não se deo a descrever o Sitio da Rozeta , e do Cubatão por haverem duvidas , e m.mo porq. Por fallescim.to da pr.a m. er do f.do havião mais poucas terras , e como a Sup.e foi Notificada p.a concluir o Inventr.o p.r isso requer a V. S. comissam se servir m.dar e pasar m.do comissam justiça ao Escr.am de justiça ou do Escr.am do Juiz de Paz p.a deferir juramt.o a dois Sugeitos de conhecim.to p.a fazerem avaliação do Sitio e mais terras com as precizas declaraçoens do q. pertencia ao p.ro Cazal do f. do , ajuntandose depois a mesma avaliação aos Autos e tomando se a sup.e ou seo pro. off.al Adição e declaração das dividas e mais bens.P. o M.do com comissamna fr.a Camp. 28 de Abril de 1.834. Paula Ferreira.
P.a V.S. se sirvadeferi lheE.R.M.



Pag. 20
Ill.mo Snr. Juiz de Orphaons
(cópia igual a da página 19)



Pag. 21
O Cidadam Brazileiro Francisco de Paula Ferreira Lopes , Juiz de Orphaons nesta V.a a su termo etc.
Mando a qlq.r off.al de Justiça e nessa falta ao Escr.am do Juiz de Paz fassam a deligencia requerida na Petiçam retro para o que dou comissam p.a os juram.tos neceçarios o que confirmado este p.r mim assignado.Villa da Campanha do Rio Verde vinte oito de Abril de 1.834 , eu Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orphaons que o escrevy.Paula Ferreira.
Termo de Lauda
Aos dois de Junho de mil oito centos e trinta e quatro , neste Sitio da Rozeta , em cazas de morada da Viuva Inventariante Dona Maria Felicidade , Viuva de Francisco Barboza Sandoval aonde Eu Joaquim da Silva Machado , oficial de Justiça deste Districto de Sam Gonçallo , fui vindo de comissam do Juiz de Orfaons da Villa da Campanha e logo em virtude da mesma comiçam deferi o juramento dos Santos Evangelios a viuva ynventariante para dar a descrever os bens constantes do requerimento asim como a Luiz Antonio da Silva e Manoel Gonçalves dese uzo para avaliarem em çuas conciencias em çuas conciencias declarando os bens do primeiro Cazal e do segundo e recebido por eles o dito Juramento asim aprometeram cumprir



Pag. 22
Cumprir de que para constar para este termo em que se asignarão de ser depois de ser lido por mim Joaquim da Silva Machado final que a escrevi Manoel Glz da Z.aAssigno p.r /Luis On.to da S.a I.e Marq.s Sz.a GouveaManoel Glz da Sz.a
Declararam os ditos avaliadores aver no Sitio da Rozeta pertencente os primeiro o Cazar o seguinte =
- No corrigo do quisamados da barra athe suas cabeceras , sento e vinte oito alqueres de doze mil reis o alquere , todos na soma de hum conto quinhentos e vinte e seis mil reis = 1 : 536$ 000

- e de huma cruz desendo ribeirão abaixo da parte direita athe no asude de Thome Jacinto ganhado a barra do corguinho da cana sobindo por ele asima pelo meio de terras aonde e acaba nagoa cortando pelo espigam assima devidindo com terras do Sargento Mor Luiz Antonio da Silva outros athe o arto da serra sercando do corigo do bananal decendo pelo espigam abaixo da parte de sima feixando na dita cruz sento e vinte alqueres , a doze mil reis o alqueire todos hum conto quatro sentos e quarenta mil reis = 1 : 440$000.
- E paçando o dito asude hindo ribeiram asima a da parte direita da deviza da fazenda que foi da viuva Roza para sima athe devidir com a compra de Maria Pereira a dois corguinhos que se axam em coarenta alqueres a dez mil reis o alqueire todos quatro sentos mil reis = 400$000.
- E devizando com a compra de Maria Pereira corigo asima de huma parte e outra athe sua ultima cabecera tudo que verte em sencoenta alqueire vinte de mato virgem a doze mil reis o alqueire e trinta e dous mil reis todos quinhetos e quarenta mil reis = 540$000.


Pag. 23
- Cazas coberta de telhas e seu terreiro e mais pertences em sento e oitenta mil reis = 180$000



Bens pertecentes ao Segundo Cazal
- Compra feita a Maria Pereira no mesmo lugar, quarenta alquere , a dez mil reis e dez alqueire a seis mil reis , todos quatro sentos e cesenta mil reis = 460$000.

- Compra que se fez na fazenda da viuva Roza comprada a João Alves filho da mesma por quarenta mil reis a dezoito annos dara os avaliadores preço de sem mil reis = 100$000.
- Fazenda de Cobatam que diviza para sima com os erderos do Falecido Luiz Manoel Cubatam abaixo da parte do naçente athe o corigo que mora Joaquim Barboza e da parte de sima por hum espigam que verte para o Cubatam Campos trinta alqueire a seis mil reis e no mesmo lugar seis alquere de mato a oito mil reis o alqueire que todo faz a soma de duzento e vinte e oito mil reis = 228$000.
- E na mesma morada de Joaquim Barboza , campos sento e sincoenta e sinco alquere a seis mil reis o alquere na quantia de nove sentos e trinta mil reis = 930$000.
- Matos no mesmo lugar , avaliados em quinze alqueires a oito mil reis o alqueire todos sento e vinte mil reis = 120$000.Dous vira Ignaçia para sima todas as vertentes do Capam das antas e que verte para Sam Domingos avaliaram os campos em trezentos e quarenta e trez alqueres a seis mil reis o alquere , dois contos e sincoenta e oito mil reis = 2:058$000.
- Matos no mesmo lugar , sincoenta e sete alqueres apreço de oito mil reis o alquere , todos Coatro sentos e sincoenta e seis mil reis = 456$000



Pag. 24
- No corego da Capoera grande dez da barra athe suas cabeçeras tudo que verte ao dito corigo avaliada em trinta alquere de teras boas a dez mil reis o alqueire todos em trezentos mil reis = 300$000.

- No mesmo lugar teras ruis dez alqueires , a seis mil reis , todos sento , digo , todos seçenta mil reis = 60$000.
- Pinham roxo dezda barra athe suas cabeçeras campos quarenta alqueres , a seis mil reis o alqueire , todos duzentos e quarenta mil reis = 240$000.
- No mesmo lugar matos trez alqueres a dez mil reis o alqueire , todos em trinta mil reis = 30$000.- Do corigo do trico preto da barra athe suas cabeçeras , tudo que verte , campos trinta alqueres a seis mil reis o alqueire , todos sento e oitenta mil reis = 180$000.
- No mesmo lugar , matos dous alqueres , a dez mil reis o alqueire , todos vinte mil reis = 20$000.
- No corigo do sape campos , vinte e oito alqueres , a seis mil reis o alqueire , todo sento e secenta e oito mil reis = 168$000.
- No mesmo lugar de hum parte e outra do Cobatam , quatro alqueres de matos , a dez mil reis o alquere todos quarenta mil reis = 40$000.
- E subindo Cubatam asima de huma parte e outra athe emcontrar na caza de Joaquim Barboza teras boas dizacete alqueires a dez mil reis o alquere todos sento e setenta mil reis = 170$000.
- No mesmo lugar teras ruis dez alqueires a seis mil reis o alquere todos secenta mil reis = 60$000.- Sobindo corigo razo assima athe a diviza do Falecido Luiz Manoel , campos catorze alqueres a seis mil reis todos oitenta e coatro mil reis = 84$000.
- Campos vertente ao cobatam da parte do sul tudo que verte ao dito Cubatam athe emcontrar com a diviza do dito Luiz Manoel , seçenta alqueres a preço de seis mil reis o alquere e todos trezentos e ceçenta mil reis = 360$000.


Pag. 25
- Matos no mesmo lugar coatro alqueres preço a oito mil reis todos trinta e dois mil reis o alqueire = 32$000.



E nesta forma houveram os ditos avaliadores por finda as ditas avaliaçoes em que se asignaram eu Joaquim da Silva Machado que o escrevi.
Tm.o de Odisçam Aos trinta dias do mez de Agosto de mil oito centos trinta e quatro nesta Villa da Campanha do Rio Verde , Minas e Comarca do Sapocahy , em o meu Cartorio e sendo ahy compareceu prezente a Viuva Inventariante Dona Maria Felicidade e Jesus e por ella me foi dito que por bem da Petiçam e Mandado retro vinha de adir a este Inventario os bens e dividas seguintes.
Os bens de Raiz constantes da valuaçam retro.
As dividas sam as seguintes.



Dividas Pascivas
- A Joaquim Jose Teixeira por credito trinta e dous mil e quinhentos e dez reis = 32$510.

- Ao capitam Antonio de Barros Pereira e Mello cento e vinte e nove mil quinhentos secenta reis = 129$560.


Pag. 26
- A Jose Machado dos Santos nove mil nove centos reis = 9$900.

- A Francisco de Paula Boeno sete mil quatro centos noventa reis = 7$490.
- Ao Reverendo Vigario da vara Flavio Antonio , digo , A Irmandade do Carmo desta Villa de resto quinze mil reis = 15$000.
Declarou ella Inventariante não ter mais bens que adir ao , digo , adir ao prezente ynventario a que protesta fazer a todo tempo que a sua noticia chegar para não imcorrer nas penas a sobdenegado de que para constar faço este incerramento em que assigna a rogo da ynventariante por não saber ler nem escrever . Antonio Gularte da Costa depois de lido por mim Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orfaons que o escrevy.Assigno a rogo de Maria Felicidade de Jesus.Antonio Gulart da Costa.



Pag. 27
Ill.mo S.r Juiz de Orfaons
Este Inventario se acha em termos de Part.a p.a a que a fasço concluzos a V. S.a que mandara o que for de direito.V.a 30 de Agosto de 1.834.O Escrivam de Orfaons
Amaro Glz. de Mendonça.



Clz.am
Aos trinta dias do mez de Agosto do anno de mil oito centos e trinta e quatro , nesta Villa da Campanha do Rio Verde , Minas e Comarca do Sapocahy , em o meu cartorio e sendo ahy fasso estes Autos comcluzos ao cidadam Francisco de Paula Ferreira Lopes Juiz de Orfaons para a dispachar como for de Justiça de que para constar faço este Termo de comcluzam , eu Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orphaons que o escrevy.



Clz.os
Proceda se a Partilhas com Cit.am dos interessados , e do Cur.os Geral Camp.a trinta de Agosto de 1.834.Paula Ferreira.



Pag. 28
Data
Aos trinta de Agosto do anno de mil oito centos e trinta e quatro, nesta Villa da Campanha do Rio Verde , Minas e Comarca do Sapocahy em cazas de morada do Cidadam Francisco de Paula Ferreira Lopes Juiz de Orfaons aonde eu Escrivam ao diante nomiado fui vindo e sendo ahy pelo dito Juiz me foi dado estes Autos com o Dispacho retro de que para constar faço este Termo de data eu Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orfaons que os escrevy.
Ill.mo S.r Juiz de Orf.os
Escrevendo varias cartas aos intereçados p.a virem proseder a Partilhas athe o prezente não tenho tido resposta e p.r isso me paresse sedeve passar mandado p.a se fazer as Citaçoens pessoal ou p.r mim Escr.am ou p.r q.l q.r off.al de justisça com a pena de avella.V S.a mandara a que por justo. V.a da Camp.a 28 de Janr.o de 1.835. O Escr.am de Orf.os.Amaro Glz. de Mça.



Pag. 29
Clz.am
Aos vinte hum dias do mez de Janeiro do anno de mil oito centos e trinta e quatro , nesta Villa da Campanha do Rio Verde , Minas e Comarca do Sapocahy em o meu Cartorio e sendo ahy fasso estes Autos comcluzos ao Cidadam Brazileiro Antonio Jose de Mello Trant Juiz de Orfaons para dispachar a Promoçam retro.De que para constar faço este termo de comcluzam , eu Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orfaons que a escrevy



Clz.os
Proceda se na forma da promoção. Campanha vinte e quatro de Janeiro de 1.835.A J M Trant
Data
Aos vinte e quatro dias do mez de Janeiro do anno de mil oito centos e trinta e sinco , nesta Villa da Campanha do Rio Verde , Minas e Comarca do Sapocahy , em cazas de morada do Cidadam Brazileiro Antonio Joze de Mello Trant Juiz de Orfaons aonde eu escrivam fui vindo e sendo ahy pelo dito Juiz me foi dado estes Autos com Dispacho Supra de que para constar faço este Termo , eu Amaro Gonçalves de Mendonça Escrivam de Orfaons que a escrevy.



Pag. 30
Juntada
Aos 30 dias do mez de Julho do anno de mil oito centos e trinta a e sinco , nesta Villa da Campanha do Rio Verde , Minas e Comarca do Sapocahy , em o meu cartorio e sendo ahy ajunto a estes Autos huma Petiçam feita por parte de Antonio da Silva Reis Brandam Dispachada pelo Cidadam Brazileiro Antonio Jose de Mello Trant Juiz de Orfaons e na qual Petiçam requeria ao dito Juiz por si e como tutor de seus irmaons filhos do finado Joan Chrisostomo da Fonseca Reis.



Pag. 31
Ill.mo S.r Juiz de Orphaons
Diz D. Maria Felicidade de Jesus , viúva de Fran.co Barboza Sandoval , q tendo falescido aq. seu Marido há perto de quatro annos , forão inventariados os bens q. ficarão p.r seu falecimento , e athe ao prez.e se não tem partilhado os d.os bens e como o cazal se acha a dever a varios , e estes querem ser pagos , req.r a Sup.e , como Inventariante , e ao pres.e de posse daq.les bens , seja V. S. servido nomear Tutor de quatro filhos orphaons , q. com a Sup.e estas e p.a o q. a Sup.e se offerece , visto q. são todas mulheres conecedoras, e p.r isso carecedôras da educação e companhia da Sup.e , informando se V. S. de sua idoneid.e afim de serem todas as interessadas maiores , e o tutor nomeado citados p.a as Partilhas , o q. a Sup.e tão bem requer , assim como , q. antes das d.as partilhas , mandando V. S. subir o Inventario a conclusão , seja serv.o nomear bens p.a pagam.to das dividas , afim de ser partilhado o liquido.P. a V. S.Sej servido assim o m.dar E.M.



Pag. 32
Informe o Escrivão respectivoCampanha vinte e oito de Julho de 1.835 A J Trant
Ill.mo S.r Juiz de Orf.os
Hé verdade que a dous annos e tanto que se fez o Inventario de que trata a Petiçam da Supr. E athe agora se não fez a Partilha e p.r aver herd.os em termos diferenttes e nem a viuva ou herd.os querem dar hum so passo p.a o di.o ficar com os dos m.mos outros V. S.a vera que vae apenço a esta servido de informaçam.E sobre a viuva assignar a tutela de seus orfaons m.mo paresse que ella deve primeiramente justificar capacid.e p.a esse fim e m.mo prestar fiança as legitimas dos Orfaons na forma da ley.V S.a porem mandará



Pag. 33
mandará o que for Servido. V.a 29 de Julho de 1.835.
Procede se na forma da resposta Supra Campanha vinte e nove de Julho de 1.835. A F Trant O Escr.am de orf.os Amaro Gonçalves M.ça Glz.
Ill.mo S.r Juiz de Orphaons
A Sup.e nenhum empenho tem em ser Tutora de suas filhas Orphans , e só como Mãy , e interessada no amparo das m.mas foi q. se offereceu p.a tutora com a informação de sua capacid.e , q. o Escrivam não ouzou macular , mas sim q. a Sup.e a justifique ; e como a Sup.e q.r prevenir essa dispesa desnecessaria , requer a V. S. seja serd.o nomear q.m entender p.a isso suficiente e novam.e nesta a Sup.e p.lo adiatam.to das Partilhas mandando V. S. citar a todos p.a as m.mas ; e separando bens a vista do Inventario p.a as dividas const.es do m. mo Inventario as q. es com a comp.e justificação feita por credôres tenhão de ser pagas p.la Supl.e



Pag. 34
Sup.e q. se acha de posse e dos bens q.do assim seja ...V. S. ordenado Para se proceder as Partilhas nomeio curador ad leter ao Advogado D.r Afonso Cordeiro de Negreiros , e depois de concluidas nomearei Tutor aos orfãos. Campanha vinte e nove de Julho de 1.835. A J Trant
Ill.mo S.r Juiz de Orphaons
A Sup.e so pede tutor à suas filhas orphans , q. assista as partilhas , e , immediatam.e acabadas ellas , tom logo a arrecadação dos bens das Orphans , e p.r elles responda p.a não suceder o q. estamos a ver continuadamente acabarem-se inteiram.e os bens dos orphaons p.lo abandono em q. existem sem húa pessoa autorizada a arrecada-los , defende-los , e guarda-los , e he isso q. a Ord. do L.o 4o tt.o 102 pozitivam.e determina . q. os Sn.res Juízes dos Orphaons dentro de hú mez do dia em q.



Pag. 35
em q. ficarem q.es q.r orphaons , lhes deem Tutor , ou curador , e q. certam.e fallando com venia he diferentissimo de Curador ad litem q. no prezente cazo , em q. a Sup.e não se queixa de haver demanda algúa com os Orphaons , a sua nomeação he extemporanea , e inteiram.e desnecessaria p.r q. húa Partilha não he hum pleito , e p.a fallar p.los interessados Orphaons aonde não ha pleito , existe o Curador Geral ; e os Curadores ad litem não cuidão se não som.e da defeza em J.o dos Orphaons incomodados , e nunca da arrecadação e guarda de seus bens , daq. Estão izentos os Advogados p.r previlegio especial da Ord. do L. 4o tt.o 104 5o He depois fundada nestes principios q. a Sup.e volta pedindo seja V. S. serv.o reformar seu disp.o deferindo-lhe o seu requerim.to como am.ma requer visto q. a Sup.e so deseja e pede o adiantam.to das Partilhas e p.r isso espera.Informe o Escrivão algum Parente que seja capaz de ser tutor destes orphaons , visto q. de sua May se nega do cumprimento da ley. Campanha trinta de Julho de 1.835. A F Trant



Pag. 36
Ill.mo S.r Juiz de Orphaons
P.a tutor dos Orphaons de que tracta a Petiçam retro informo a V. S.a que bem p.r de servir Fr.co Barboza Sandoval há .das m.mas , ou Leuterio Jose Barboza q. tão bem he aranxados das m.mas e ambos Cazados ........ V. S.a , digo , e q. q.er delles que seja aprovado p.r V. S.a que seja citado .. assignam tr.o de Tutella V. S.a porem mandara o que for servido.Nomeio para tutor dos orphaons ao Cidadão Eleuterio Jose Barboza e seja citado para no prazo de trez dias vir a assignar o Termo de Tutellar , e proceder se as Partilhas.Campanha trinta de Julho de 1.835. A F Trant
O Escrivam de Orf.os Amaro Gls de Mça". (Sic).


Cap. X - Manoel Francisco Barbosa Sandoval e s/m Eufrásia Joaquina Rosa

Trajetória de sua vida em ordem cronológica :

..... 1787 – Pelos anos de 1787 , seus pais Francisco Barbosa Sandoval e Maria Antonia , deixaram o Arraial da Onça do Pitangui , MG , onde viveram por mais de 20 anos e seguiram para São Gonçalo do Sapucaí , MG , onde foi a chamado de seu cunhado , conforme declarado pelo seu próprio pai Francisco Barbosa Sandoval em processos de Pitangui , por 1787. Suponho que este tal cunhado tenha sido o Sgt. Manoel Xavier da Silva Toledo.

..... 1790 - Nasceu Manoel Francisco Barbosa Sandoval em São Gonçalo do Sapucaí , MG , provavelmente na Fazenda da Rozeta , atualmente pertence ao mesmo município de São Gonçalo do Sapucaí , MG.
.
..... 1798 - No dia 6 de Junho , faleceu sua mãe Maria Antonia , foi sepultada com Hábito do Carmo , com todos os sacramentos , dentro da Capela de São Gonçalo do Sapucaí , MG.

..... 1809 - Aos 13 de Agosto , casou-se com Eufrazia Joaquina Rosa na Matriz de Florianópolis , SC.
.Livro 4º dos Casamentos da Matriz de N. S.ra do Desterro da Ilha de Santa Catharina :

“Aos treze dias do mez de Agosto de mil oito centos e nove , nesta Matriz do Desterro da Ilha de Santa Catharina do Bispado do Rio de Janeiro , feitas as diligencias na forma do Sagrado Concilio Tridentino e Constituição deste Bispado sem aver (sic) impedimento algum por Provisão do Reverendo Vigario da Vara Agostinho Jose Mendes dos Reis , pellas dez horas do dia , pouco mais ou menos , com minha prezença e das testemunhas abaixo assignadas se receberão sulemnemente em Matrimonio por palavras prezente Manoel Barboza , soldado no regimento de linha desta Villa , filho legitimo de Francisco Barboza e de Maria Antonia , natural e baptizado na Freguezia de S. Gonçallo do Bispado de Minas , com Eufrazia Joaquina , filha legitima de Joaquim de Espindola e de Joaquina Roza , natural e baptizada na Freguezia de N. Senhora das Nececidades desta Ilha , e de prezente aqui rezidente , receberão as bençãos na forma da Igreja , p.a constar fis este que assigno com as testemunhas.
O Vigario Jose Maria de S.a Rabello.
+ Francisco Borges.
Jose + de Guomes."


..... 1810 - Por 1810 , nasce seu filho Manoel Francisco Barbosa Júnior , casando-se aos 28/04/1832 em Porto Alegre , RS , com Cândida de Souza Marques , que deixaram , pelo menos , os filhos :

          Maria Cândida Barbosa , nasc. em Porto Alegre em 21/05/1833
          Manoel Francisco , nascido em Rio Pardo , RS , em 1834
          Cândida Marques Barbosa nasc. 1840, cc Marcelline Dominique Lacroix em Itaqui , RS em 20/06/1856 , cg
          Joaquim , nascido na legendária Lapa , PR , em 1840
          Eufrásio , nascido na Lapa , PR , em 1844.
          Maria Marques Barbosa , cc Joaquim de Souza Marques
          Josefina Barbosa Marques , cc Firmino Martins dos Santos
          Joaquina
          Maria Dolores Marques Barbosa , cc Luis Gonçalves Pacheco
          Castorina Marques Barbosa , cc Pedro Antonio de Miranda
          Laurinda Marques Barbosa , cc Felisberto Costa Furtado
          Carolina Marques Barbosa , cc João Gustavo Mongardey , cg
          Laurindo Marques Barbosa , cc Lisbela Antunes Pinto , cg
       

..... 1812 - Por 1812 , nasce sua filha Brígida Maria da Conceição em Gravataí , RS. Casou-se , aos 20/12/1828 , na Igreja Nossa Senhora Madre de Deos , Porto Alegre , RS , com Manoel Jose Coelho Barbosa.

..... 1814 - Aos 25 de Junho , leva sua filha Maria à pia batismal em Santo Antonio da Patrulha , RS.

..... 1818 - Por volta de 1818 , nasceu seu filho Jose Francisco Barbosa Sandoval em Porto Alegre , RS , cujo registro de batismo não foi localizado.

..... 1820 - Aos 21 de Novembro , batizou sua filha Ludovina em Santo Antonio da Patrulha , RS.

..... 1822 - Aos 30 de Novembro , batizou sua filha Felisbina em Santo Antonio da Patrulha , RS.

..... 1823 - Aos 4 de Agosto , batizou sua filha Delfina na Igreja Nossa Senhora Madre de Deus da cidade de Porto Alegre , RS.

..... 1825 - Aos 24 de Abril , batizou sua filha Maria mesma Igreja de Nossa Senhora Madre de Deus. Faleceu Maria aos 9/01/1826 em Porto Alegre , RS.

..... 1827 - Aos 17 de Maio , batizou seu filho Gaspar na mesma Igreja de Nossa Senhora Madre de Deus em Porto Alegre , RS. Faleceu Gaspar aos 15/08/1828 em Porto Alegre , RS.

..... 1828 - Aos 7 de Janeiro , batizou seu filho Eufrazio na mesma Igreja de Nossa Senhora Madre de Deus.

..... 1828 - Aos 20 de Dezembro , casou-se sua filha Brígida Maria da Conceição , natural de Gravataí , RS , com Manoel Jose Coelho Barbosa , na Igreja de Nossa Senhora Madre de Deos em Porto Alegre , RS.

..... 1830- Aos 19 de Junho , Manoel Francisco compra um terreno na Travessa dos Moinhos na cidade de Porto Alegre , RS.

..... 1831 - Aos 18 de Julho , batizou sua filha Anna na mesma Igreja de Nossa Senhora Madre de Deus.

"Aos dezoito dias do mez de Julho de mil oitocentos trinta e hum annos , nesta Matriz de Nossa Senhora Madre de Deos de Porto Alegre , baptizei solemnemente e puz os Sanctos Oleos a Anna , nascida a trinta de Janeiro deste anno , filha legitima de Manoel Francisco Barboza , natural de Minas Geraes , e de Eufrazia Joaquina Roza , natural de Sancta Catharina.
Neta por parte paterna de Francisco Barbosa Sandoval e de Maria Antonia da Conceição , naturaes de Minas Geraes. E pela parte materna de Joaquim de Espindola , e Joaquina Rosa de Jesus , naturaes da Ilha de Sancta Catharina. Forão padrinhos Jose Caetano Ferraz , e Dona Josefa Henriqueta da Silva.
E para constar , mandei fazer este assento , que assignei.
O Coadjutor Orestes Roiz d'Araujo."


..... 1831 - Aos 14 de Novembro , faleceu de hidropsia seu pai Francisco Barboza Sandoval em São Gonçalo do Sapucaí , MG , foi sepultado na Matriz Nova de Campanha , MG.

..... 1832 - Aos 28 de Abril , casou-se seu filho Manoel Francisco Barbosa Júnior , natural de Santa Catarina , com Cândida de Souza Marques , na Igreja de Nossa Senhora Madre de Deos , Porto Alegre , RS.

..... 1833 - Aos 25 de Abril , Manoel Francisco compra por um conto e cem mil reis uma Casa de Morada em frente à Praça do Paraíso na cidade de Porto Alegre , RS.

..... 1833 - Aos 3 de Agosto , foi batizada sua neta Maria na Igreja de Nossa Senhora Madre de Deos , Porto Alegre , RS , filha de Manoel Francisco Barbosa Júnior e s/m Cândida de Souza Marques.

..... 1834 - Aos 7 de Junho , batizou sua filha Maria na Paróquia de Nossa Senhora do Rosário do Rio Pardo , Rio Grande do Sul.

..... 1834 - Aos 8 de Agosto , foi batizado seu neto Manoel na Paróquia de Nossa Senhora do Rio Pardo , RS , filha de Manoel Francisco Barbosa Júnior e de s/m Cândida de Souza Marques.

..... 1835 - Aos 20 de Setembro eclodiu a Guerra dos Farrapos no Rio Grande do Sul e em 01/04/1838 o Governador Elzeário marcha para Rio Pardo , RS. Suponho que nesta época Manoel Francisco Barbosa Sandoval e sua família , já não mais residiam no Rio Pardo.

..... 1840 - Aos 15 de Agosto , foi batizado seu neto Joaquim na Igreja de Santo Antonio , Lapa , Paraná , filha de Manoel Francisco Barbosa Júnior e de s/m Cândida de Souza Marques.

..... 1840 - Aos 11 de Dezembro , em Pouso Alegre , MG , casou-se sua filha Ana Eufrásia com Jose Barbosa Sandoval , tio da noiva e meio irmão de Manoel Francisco. Primeiro indício de que Manoel Francisco havia retornado do sul.

..... 1841 - Seu filho Jose Francisco Barbosa Sandoval foi recenseado em Caconde , SP , com 25 anos , solteiro , negociante e morador no bairro da Capela. Segundo indício de que Manoel Francisco já deveria ter retornado do Rio Grande do Sul.

..... 1842 - Aos 19 de Abril , casou-se em Caconde , SP , seu filho Jose Francisco Barbosa Sandoval com Anna Alves Moreira.

..... 1844 - Aos 29 de Janeiro , foi batizado seu neto Eufrásio na Igreja de Santo Antonio , Lapa , PR , filho de Manoel Francisco Barbosa Júnior e de s/m Cândida de Souza Marques.

..... 1850 - Aos 2 de Dezembro , foi nomeado , por decreto da mesma data , Cavaleiro da Ordem da Rosa Imperial pelo Imperador D. Pedro II.

Do Arquivo Nacional , Rio de Janeiro , Notação Ordens Honoríficas, Ordem da Rosa :

"Hei por bem nomear Cavalleiros da Ordem da Rosa as pessoas / mencionadas na Relação que com este abaixo assignado / pelo Visconde de Montalegre do Meu Conselho de Estado e Mi- / nistro e Secretario de Estado dos Negocios do Imperio. Palacio / do Rio de Janeiro em dois de Dezembro de mil oitocentos e / cincoenta , Vigesimo nono da Independencia e do Imperio.
P [letra P rebuscada , assinatura do Imperador D. Pedro II]
Visconde de Montalegre
Reg,do a f. 44 do L.o 2ð
de sism.es
2 10.bro 1850 [2 de Dezembro de 1850]

Relação das pessoas nomeadas Cavalleiros da / Ordem da Rosa a que se refere o Decreto desta / data.

Manoel Francisco Barboza Sandoval --- Minas".

..... 1853 - Manoel Francisco Barbosa Sandoval, Cavaleiro Imperial da Ordem da Rosa, Subdelegado , Primeiro Suplente e Juiz de Paz em São José do Paraíso (atual Paraisópolis) em 6 de novembro de 1853 , citado numa petição para passar a cidade para o Estado de São Paulo.

..... 1854 - Nasce seu neto Jose Moreira Barbosa Sandoval em Monte Santo de Minas , MG , filho de Jose Francisco Barbosa Sandoval e de s/m Ana Alves Moreira.

..... 1854 - Em primeiro de Setembro , faleceu em Caconde , SP , seu filho Jose Francisco Barbosa Sandoval deixando cinco filhos , todos menores. Foi inventariado em 1861.

..... 1855 - No Fórum de Pouso Alegre , MG , Manoel Francisco Barbosa Sandoval é citado como Inventariante de Anacleto Joaquim SantAna.

..... 1856 - Em primeiro de Setembro , foi sepultado no Cemitério de Paraisópolis , MG , seu escravo de nome Manoel.

      1862 - Aos 22 do mês de Junho , faleceu em Paraisópolis , MG , Eufrazia Joaquina Rosa , sua mulher e companheira de mais de meio século , mulher que o acompanhou desde sua terra em Santo Antonio de Lisboa , Florianópolis , Gravataí , Santo Antonio da Patrulha , Porto Alegre , Rio Pardo e finalmente Paraisópolis , MG ,e quem sabe por mais quantas outras ?

"Eufrasia

Aos vinte e dous de Junho de hum mil oitocentos e sescenta e dous nesta Freguesia no semiterio foi sepultada Eufrasia , mulher de Manoel Barbosa Sandoval e de idade de 60 anos [na realidade já possuía 69 anos] foi envolta em pano preto , morreu de estupor.
O Vigr.o Fran.co de Paula Toledo".

(Livro nð 1 da Paróquia de São José, folha 47, de 22 junho 1862 em Paraisópolis, MG)

..... 1866 - Aos 25 de Agosto , foi sepultado no Cemitério de Paraisópolis , MG , Manoel Francisco Barbosa Sandoval , viúvo e com 76 anos de idade.

Livro de Óbitos Nº 1 , da Freguezia de São Jose do Paraíso , atual Paraisópolis , MG :

“Aos vinte e cinco de Agosto de mil oitocen/tos sessenta e seis , neste Cemiterio foi sepul/tado o Cadaver de Manoel Francisco Bar/boza Sandoval envolto em preto e de idade de setenta e seis annos , viuvo , de / que para constar mandei fazer este termo.
O Vigr.o João Alves Carv.lho Guimarães”.


A família de Eufrásia Joaquina Rosa está descrita no seguinte Blog :
http://graciosafloripa.blogspot.com/

Do livro "Paraisópolis de ontem e de hoje" , por João Lopes de Paiva , 1982.

"Cap. 18 – A vontade de ser paulista , pág. 36

Estava assim redigida a petição da Freguesia de São Jose do Paraíso solicitando a anexação do seu território à Província de São Paulo :

“Ilustríssimos Senhores Membros da Assembléia Legislativa Provincial de São Paulo.
Os moradores da Freguesia de São Jose do Paraíso do Município de Pouso Alegre da Província de Minas Gerais abaixo assinados , anelando fruir as vantagens que a solicitude do Governo dessa Província tem proporcionado aos seus habitantes , mui respeitosamente vem procurar a coadjuvação dessa ilustrada Assembléia perante a Augusta Assembléia Legislativa do Império afim de adotar-se a medida que há de realizar os desejos e as vistas dos abaixo assinados.
A posição topográfica , as relações comerciais religiosas e familiares reclamam altamente esta medida.
Distante 25 léguas apenas dessa Capital e mais de 80 da sede do Governo de Minas , pertencendo a São Paulo , os abaixo assinados esperam receber o desenvolvimento que o comércio , a agricultura e a indústria pode trazer o alívio de anti-econômicos e pesados tributos , a abertura de nossas vias de comunicações , os consertos das que existem atualmente abandonadas e principalmente a eficaz proteção à vida , à segurança individual e à propriedade até aqui tidas em pouca consideração.
Uma divisa natural e por conseguinte incontestada deve ser sempre que for possível procurada pelos Legisladores em matéria de divisões , e pois os abaixo assinados tomam a liberdade de para divisas das duas Províncias o Rio Sapucaí , compreendendo-se na de São Paulo todo o território situado aquém deste rio , e as povoações que , para glória dos antigos paulistas são ainda hoje o vivo testemunho do começo de suas intrépidas e virtuosas excursões.
Os abaixo assinados confiam que a Augusta Assembléia Geral adotará a medida reclamada pelos interesses do país se essa Assembléia Provincial houver por bem coadjuvá-los em suas justas e incontestáveis pretensões. Deus guarde por muitos anos aos Senhores Deputados da Assembléia Legislativa Provincial de São Paulo.
São Jose do Paraíso , 6 de Novembro de 1853.
Assinaturas :
- Manoel Francisco Barbosa Sandoval , Cavaleiro Imperial da Ordem da Rosa , Sub-delegado 1º Suplente e Juiz de Paz.
- Joaquim Francisco de Toledo.
- Tenente Coronel Jose Vieira Carneiro.
- João Pedro Pereira.
- Capitão Jose Silvestre Machado.
- João Bernardino de Castro.
- Jose Justino Ribeiro.
- Leandro Barcelos Bueno de Toledo.
- Jose Fernandes da Silva Santos.
- Francisco Floriano Pinto.
- Mariano da Mota Paes.
- Jose Thomaz Pereira Goulart.
- Januário Rodrigues Mendes.
- Francisco Joaquim de Almeida.
E mais 63 outros assinantes perfazendo 77 assinaturas. Todavia não logrou efeito essa manifestação do Sul de Minas em que tomaram parte Jaguary , São Caetano da Vargen Grande , Itajubá , Pouso Alegre , Ouro Fino , Campo Místico , Nossa Senhora da Consolação do Capivary , Cambuí , Bom Retiro , Santa Rita da Extrema e São Jose do Toledo".


Cap. XI – Jose Francisco Barbosa Sandoval e s/m Ana Alves Moreira

Jose Francisco Barbosa Sandoval nasceu em Porto Alegre , RS , por 1817. Casou-se em Caconde , SP , aos 19/04/1841 na Paróquia de Imaculada Conceição , com Ana Alves Moreira , nascida em Caconde em 1821 , filha de Jose Alves Moreira e de Magdalena Maria de Jesus , também chamada Magdalena Custódia de Jesus.

“Aos dezenove de abril de mil oitocentos e quarenta e hum annos , feitas as trez admoestações Canônicas , sem impedimento , com Provisão da Vara , pelas onze horas da manham em minha presença e das testemunhas abaixo assignadas , se receberão por marido e mulher , Jose Barbosa Sandoval , filho legítimo de Manoel Francisco Barbosa e Eufrazia Joaquina Rosa , nascido , baptizado na cidade de Porto Alegre do Sul ; e Anna Joaquina Moreira , filha legítima de Jose Alves Moreira e de Magdalena Maria de Jesuz , nascida , baptizada nesta Freguezia , onde ambos os contrahentes são moradores. E logo receberão as Bençãos Nupciaes.
Vig. Jose Barbosa do Nascimento.
Testemunhas : Antonio Barbosa Menezes e Joze Theodoro da Fonceca”


Foi comerciante e Escrivão de Paz , foi recenseado em Caconde desde 1841 com 25 anos , solteiro , morador na bairro da Capela e negociante. Nos censos seguintes até 1850 já aparece como casado e morador na Capela e no Arraial. Em 1856 , a viúva Ana Alves Moreira faz sua declaração de registros de terras
Pelo inventário de Jose Francisco Barbosa Sandoval , temos as seguintes informações :

Inventário aberto em 1865 , foi inventariante a viúva Ana Alves Moreira. Faleceu em 1/9/1854 , deixando 5 filhos :

.......... 1) Mariana Cândida Sandoval , 22 anos , cc Joaquim Theodoro de Almeida. Cujos descendentes seguem através do Blog : http://marianacsandoval.blogspot.com/
.......... 2) Leonor Fausta Blandina da Luz , 19 anos , cc Theodoro Jose Bernardes.
.......... 3) Francisco Barbosa Sandoval , 18 anos. Foi casado com Ana Umbelina da Conceição e depois de viúvo com Delphina Cândida de Assis , ambas filhas do cap. Francisco de Assis Nogueira , fundador da cidade de Assis , SP e de s/m Delphina Cândida de Assis Ribeiro. Que segue no Blog http://franciscobarbosasandoval.blogspot.com/
.......... 4) Manoel , 14 anos.
Manoel Barbosa Sandoval foi cc Maria Júlia da Trindade aos 4/10/1871 em Muzambinho , MG.
........ 5) Jose , 11 anos , que segue no capítulo seguinte
.
Bens declarados por Ana Alves Moreira no inventário de seu finado marido Jose Francisco Barbosa Sandoval :
.
"Assinhada.
Aos dezoito dias do mez de Agosto do dito anno de mil oito centos e cecenta e cinco , nesta Villa de Caconde , em caza da viuva inventariante Anna Alves Moreira , aonde vim eu escrivão interino e os louvados nomiados e escolhidos , se procedem à avaliação e discripção dos bens do Cazal pela maneira seguinte.
Moveis.
- Um Horatorio com ceis Imagens , no valor de dez mil reis 10$000.
- Quatorze oitavas de ouro velho a trez mil reis , quarenta e dous mil reis 42$000.
- Um par de brincos de ouro , em dez mil reis 10$000.
- Uma Memoria de ouro em dezieseis mil reis 16$000.
- Uma Memoria , mais inferior em trez mil reis 3$000.
- Nove oitavas de ouro velho a trez mil reis , vinte e cete mil reis 27$000.
- Quinze oitavas de prata velha a cento e cecenta reis , dous mil e quatrocentos reis 2$400.
- Um cordão de ouro novo em quarenta mil reis 40$000.
- Um par de brincos em oito mil reis 8$000.
- Dous pares de brincos pequenos a dous mil reis , quatro mil reis 4$000.
- Uma Memoria de ouro em trez mil reis 3$000.
- Uma medida de ouro , cinco mil reis 5$000.
- Um cordão , em cete mil reis 7$000.
- Trinta e ceis oitavas de prata velha a cento e cecenta a oitava , cinco mil cete centos cecenta reis 5$760.
- Uma bacia de cobre grande em ceis mil reis 6$000.
- Uma Bacia pequena em dous mil reis 2$000.
- Um Almofariz de Bronze , em dous mil reis 2$000.
- Uma bandeja grande velha em dous mil reis 2$000.
- Uma dita (bandeja) pequena , em mil reis 1$000.
- Uma dita pequena em um mil reis 1$000.
- Um jogo de Pistollas velhas , em ceis mil reis 6$000.
- Déz Cazaes de Colheres de metal de principe a quinhentos reis cada um , cinco mil reis 5$000.
- Um Almario grande de costas de Almofadas , em trinta mil reis 30$000.
- Uma canga grande , em quatro mil reis 4$000.
- Uma dita pequena em dous mil reis 2$000.
- Duas Caixas Frasqueiras , a mil e quinhentos reis , trez mil reis 3$000.
- Uma dita ordinaria em mil reis 1$000.
- Trez Catres a quatro mil reis , dezeceis mil reis , digo dose mil reis 12$000.
- Um Catre ordinario em quinhentos reis $500.
- Uma Meza pequena com Gaveta , em oito mil reis 8$000.
- Um tear e seus pertences com tres aparelhos , em vinte e cinco mil reis 25$000.
- Uma Ordideira , em trez mil reis 3$000.
- Um Canelleiro , em mil reis 1$000.
- Uma roda de fiar em ceis mil reis 6$000.
- Duas Frasqueiras , em trez mil reis 3$000.
- Um Berço , em ceis mil reis 6$000.
- Uma Roda de fiar , em seis mil reis 6$000.
- Uma canga de páu velha , em quatro mil reis 4$000.
- Um carro velho desferrado , em vinte e cinco mil reis 25$000.
- Quatro Cangas por cete mil reis 7$000.
- Um Selim de Banda em bom uzo em vinte e cinco mil reis 25$000.
- Quatro Colxas boas de Lan a oito mil reis , trinta e dous mil reis 32$000.
- Quatro ditas inferiores a quatro mil reis , dezeceis mil reis 16$000.
- Ceis Lenções de Americano , já bem rustido , a mil e ceis centos reis , Nove mil e ceis centos reis 9$600.
- Quatro Lenções de Amorim a dous mil reis 2$000.
- Duas Camas e seus pertences que se achão em poder do herdeiro Joaquim Theodoro de Almeida em quarenta e cete mil novecentos e quarenta reis 47$940.
- Uma cama que se acha em poder do herdeiro Theodoro Jose Bernardes , em vinte mil reis 20$000.
- Soma = 513$200
Semoventes.
- Um Boi por nome Rosado , no valor de quarenta mil reis 40$000.
- Um dito por nome Cravo , em trinta e dous mil reis 32$000.
- Um dito por nome Bonito , em trinta e dous mil reis 32$000.
- Um Cavallo Castanho , em quarenta e cinco mil reis 45$000.
- Um Cavallo Ruço arriado , em cetenta e cinco mil reis 75$000.
- Um Cavallo Ruço queimado , em cincoenta e ceis mil reis 56$000.
- Um Cavallo Castanho , em cincoenta mil reis 50$000.
- Ceis Porcos que estão em poder do herdeiro Joaquim Theodoro de Almeida , a cinco mil reis cada , em trinta mil reis 30$000.
- Um escravo por nome Mathias , crioullo de idade de trinta e trez annos , no valor de um Conto e quinhentos mil reis 1$500$000.
- Uma escrava por nome Thereza , crioulla , de idade de trinta e oito annos , no valor de um Conto e duzentos mil reis 1$200$000.
- Um Crioulinho por nome João , de idade de ceis annos , em um Conto de reis 1$000$000.
- Um Crioulinho por nome Antonio , de idade de dezoito mezes , em duzentos mil reis 200$000.
- Soma = 4$260$000
Raiz
- Em terras na Fazenda do Ribeirão das Canôas , Distrito do Curato de Santa Barbara , e Municipio da Villa de Jacuhy , de valor de duzentos mil reis 200$000.
- Soma = 200$000.
Dividas Activas.
- Disse que seu Genro Joaquim Theodoro de Almeida , hera devedor a seu Cazal , da quantia de quarenta mil reis de dinheiro que gastou com a dispença de seu Cazamento 40$000.
- Que deve ao mesmo Cazal que recebeu de Generozo Antonio Rodrigues , oitenta mil reis 80$000.
- Que deve mais por uma -------- que avia resgatado , sem ter dado o dinheiro , duzentos e cetenta e dous mil reis 272$000.
- Disse mais que Bonifacio de Souza Penna , hera devedor a seu Cazal da quantia de um Conto de reis por credito firmado em vinte oito de Julho de mil oito centos e cesenta e quatro 1$000$000.
-Disse mais que Manoel Jose Ramos é devedor a seu Cazal da quantia de vinte e cinco mil trezentos e cecenta e nove reis 25$369.
- Disse mais que ella inventariante é devedora de dinheiro de seu Cazal que avia gastado a quantia de cento e cetenta e dous mil reis 172$000.
- Soma = 1$589$369 reis.

Monte Mor do bens deixados por Jose Francisco Barbosa Sandoval : 6$040$000 reis.

A família de Ana Alves Moreira está descrita , em parte , no Cap. VI do seguinte Blog :
http://coura-ibitipoca.blogspot.com/

Cap. XII – Jose Moreira Barbosa Sandoval e s/m Thereza Maria da Conceição

Jose Moreira Barbosa Sandoval ou Jose Barbosa Sandoval ou Jose Moreira Sandoval , nasceu em Monte Santo de Minas , MG , em 1854 , faleceu em Caconde aos 6/10/1914.
Casou-se , primeiramente , com Ana Franco do Amaral em 2/12/1875 em Avaré , SP , não deixaram filhos , depois de viúvo , casou-se com Thereza Maria da Conceição , natural de Caconde , em 29/9/1883 em Caconde , SP , ela filha de Joaquim Alves de Souza e de Maria Generosa de Araújo. Deste segundo casamento , deixaram os seguintes filhos :

.......... 1) Ana Cândida Sandoval , 1884 , cc Benevides da Rocha Trigo.

........ 2) Joaquim Moreira Sandoval , 1886 , cc Ernestina Porto , que segue no cap. seguinte

.......... 3) Jose Barbosa Sandoval , 1888 , cc Maria Jose Pereira
.......... 4) Maria Bárbara Sandoval , 1893 , cc Jose Pedro de Magalhães , filho de Luiz Eugênio de Magalhães e de Anna Justina Trindade Sandoval. Deixaram os seguintes filhos :
............... 4.1) Geraldo Magalhães , cc Maria Jose
............... 4.2) Jose Eugênio de Magalhães , cc Eliza Frederico Raufus
............... 4.3) Benedito Magalhães , cc Aparecida
............... 4.4) Catarina Magalhães , cc Joaquim Vital
............... 4.5) Maria Magalhães , cc João Coelho
............... 4.6) Adélia Magalhães
............... 4.7) Raphaela Magalhães , cc Jose Cândido Filho , cuja família segue através do blog : http://familiadebenedito.blogspot.com/
............... 4.8) Auta Magalhães , cc Carlos de Almeida
.......... 5) Maria Thereza (Joana) Sandoval , 1895 , Jose Baptista de Souza.
.......... 6) João Barbosa Sandoval , 1896 , cc Alexandrina Souza.
.
Cap. XIII - Joaquim Moreira Sandoval e s/m Ernestina Porto
.
Registro de Casamento de Joaquim M. Sandoval e Ernestina Porto , meus avós :
.
"Termo de Casamento - Aos trinta dias do mez de Março de mil novecentos e cinco, nesta comarca e districto de Caconde , em a Fazenda das Arêas e casa de residência de Venancio Gomes Porto , as duas horas da tarde , onde fomos vindo a requerimento dos contrahentes ahi presente o M. 1o Juiz de Paz Major Arlindo Modesto de Castro , com plena jurisdicção do Juizo de casamentos commigo Pedro Argemiro Vargas , Official do Registro Civil e as testemunhas Capitão Julio de Magalhães , viuvo , com 32 annos de idade , negociante , natural desta comarca e residente em São Jose do Rio Pardo e Antonio Herculano de Magalhães , casado , com 28 annos de idade , lavrador , natural e residente em Muzambinho , do Estado de Minas Geraes.Receberam-se em matrimônio Joaquim Moreira Sandoval , solteiro , com 19 annos de idade , lavrador , natural e residente nesta comarca e filho legítimo de Jose Moreira Sandoval e de D.a Thereza Maria da Conceição , esta já fallecida ; com Da. Ernestina Porto , solteira , com 19 annos de idade , serviços domésticos , natural e residente , digo , natural de São Jose do Rio Pardo , deste Estado , e residente nesta comarca , filha legítima de Venancio Gomes Porto e de Da. Hyppolita Josephina Porto. Neste acto declararam os contrahentes que não tem parentesco entre si em grau prohibido e nem outro impedimento conhecido , que os inhiba de casarem-se ; pelo que casão-se na forma de comunhão de bens de conformidade com a Lei. Para constar lavrei este termo que vae assignado pelos contrahentes ; Juiz e testemunhas. eu Pedro Argemiro Vargas , Official do Registro Civil , o escrevi.
(a.). Arlindo Modesto de Castro , Joaquim Moreira Sandoval , Ernestina Porto , Julio Magalhães , Antonio Herculano de Magalhães , Jose Bento Ribeiro de Noronha , Eduardo Gomes Porto , Jose Moreira Sandoval , Jose Barbosa Sandoval.
(À margem direita do assento) Joaquim Moreira Sandoval com Dona Ernestina Porto".


A família de Thereza Maria da Conceição está descrita no seguinte Blog : http://alvesdesouza-araujo.blogspot.com/
.

Deixaram os seguintes filhos :

.......... 1) Thereza Porto Sandoval , 19/04/1906 , nasc. em Caconde , SP.
.......... 2) Jose Porto Sandoval , 6/06/1907 , nasc. em Caconde , SP.
.......... 3) Mario Porto Sandoval , 3/03/1909 , nasc. em Caconde , SP.
.......... 4) Francisco Porto Sandoval , 18/11/1910 , nasc. em São Jose do Rio Pardo , SP.
.......... 5) Américo Porto Sandoval , 12/10/1912 , nasc. em São Jose do Rio Pardo , SP.
.......... 6) Ary Porto Sandoval , 23/09/1913 , nasc. em São Jose do Rio Pardo , SP.
.......... 7) João Porto Sandoval , 30/08/1914 , nasc. em São Jose do Rio Pardo , SP.
........ 8) Washington Porto Sandoval , 15/10/1915 , nasc. em Assis , SP.
.......... 9) Maria da Glória Porto Sandoval , 12/01/1919 , nasc. em Assis , SP.
.......... 10) Wilson Porto Sandoval , 18/01/1920 , nasc. em Assis , SP.
.......... 11) Hélio Porto Sandoval , 3/12/1922 , nasc. em Assis , SP
.......... 12) Cecília Porto Sandoval , 15/02/1927 , nasc. em Piratininga , SP

A família de Ernestina Porto está descrita no seguinte Blog : http://gomesporto.blogspot.com/

Obs. Este trabalho amplia e corrige a publicação feita pelo mesmo autor na Revista Histórica No 4 , publicada pelo Arquivo Público de SP em Julho de 2001.

[fotos no rodapé deste blog]
[em construção]

Colaboradores :

.. Adriano Campanhole
.... Eduardo Dias Roxo Nobre
...... Monsenhor Lefort

..........Sônia Regina Belato de Freitas Lelis
.
Agradecimentos Especiais aos Órgãos e seus Funcionários :

Arquivo Público de São Paulo
.Arquivo Público Mineiro
..Arquivo da Cúria de São Paulo
...Arquivo da Cúria de Porto Alegre
....Arquivo da Cúria de Florianópolis
.....Arquivo da Cúria do Rio de Janeiro
......Arquivo da Matriz do Pilar de São João del Rei
.......Arquivo do Museu de São João del Rei
........Arquivo de Ouro Preto
.........Arquivo da Cúria de Mariana
..........Arquivo da Casa Setecentista de Mariana
...........Arquivo de Sabará – Casa Borba Gato
............Arquivo da Igreja de Divinolândia , SP
.............Arquivo de Microfilmes da Igreja dos Mórmons
..............Arquivo da Diocese de Campanha
................Cemec - Centro da Memória Cultural do Sul de Minas